BLOG DO MAYCON VIDAL

Opinião, artigos e bastidores da política

O dia seguinte ao voto de Wladimir na Previdência

Artigo expressa opinião do autor

Finalmente o texto-base da reforma da previdência foi levado ao plenário da Câmara Federal e votado nesta quarta-feira (11). Amplamente divulgado na mídia, o projeto foi aprovado por 379 votos a favor contra apenas 131 contrários. O deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), único deputado federal da cidade de Campos, manteve o discurso que vinha adotando e foi contra o texto-base da reforma da Previdência enviado pelo governo Bolsonaro para o Congresso. A decisão de se manifestar contra distorções ao texto é polêmica, gera burburinho na internet e em sites políticos de Campos e região. Mas afinal, alguém esperava que fosse diferente?

Wladimir já utilizou suas redes sociais e a tribuna da Câmara para abordar o assunto em outras oportunidades, onde disse haver a necessidade de uma reforma na Previdência, mas de uma forma diferente da proposta, tendo em um dos seus primeiros discursos na Câmara, já se posicionado de forma contrária ao texto proposto.




Em um discurso mais recente, Wladimir afirmou que o projeto do governo trata de forma injusta os trabalhadores, em especial os professores, os aposentados, os policiais e as pensionistas, além de ter feito críticas a algumas questões pontuais, como os privilégios mantidos pela reforma aos Militares das Forças Armadas.

Diferente do que informam sites e jornais campistas, a decisão parece coerente em relação ao posicionamento apresentado pelo deputado, que parece ter sido tomado sem aceitar pressões. Inclusive, Wladimir deixou de seguir a orientação do próprio partido, que fechou questão em apoio ao projeto do governo. Mesmo tendo sido contra o projeto-base, o deputado se comprometeu a analisar individualmente a cada um dos destaques ao projeto que começaram a ser votados na última quarta (11).

O deputado pode ser questionado se o entendimento dele é o melhor para o Brasil ou não. Os eleitores e a sociedade podem apontar motivos para convencê-lo de que a reforma da Previdência nos moldes propostos pelo governo Bolsonaro, apesar de ter pontos negativos, é necessária.

Mas entender que a postura é incoerente, não cabe nesse episódio, já que desde sempre ele deixou claro qual seria o seu posicionamento.

Por ser o único representante de Campos na Câmara Federal, o seu voto tem peso dobrado, consequências triplicadas e repercussão maior ainda. No entanto, alguém achou que seria diferente?

Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS

error: Conteúdo protegido.