BLOG DO GUSTAVO MATHEUS

Opinião, artigos e bastidores da política

Wladimir Garotinho: Entre a SEAP e o CESEC?

 

A disputa eleitoral para a Prefeitura, em 2020, tem seu desenho traçado. Mas muitos fatores extra urna podem acontecer, além do surgimento de novos personagens. Política é dinâmica. Porém, tudo indica que o passado terá uma grande influência sobre futuro reserva.

Hoje o traçado conta a seguinte história. O deputado Federal Wladimir Garotinho lidera com folga todas as pesquisas, mas é o segundo colocado em rejeição. Seguido por Caio Vianna, num segundo lugar distante, mas com a rejeição considerávelmente menor. E o prefeito Rafael Diniz aparece em terceiro lugar, com a maior rejeição de todos os tempos. Mas máquina, caro amiguinho afegão médio, é máquina. Dinheiro, cargos e mais promessas de dinheiro e cargos ainda enganam muita gente.




A eleição de 2016 é muito importante pra contar a história de 2020. Fenômenos como Bolsonaro, a nível municipal, a famosa onda em torno de alguém, serão difíceis, já que a decepção chamada Rafael Diniz era, naquele momento, o maior símbolo de esperança. Por isso, devido a frustração que vem sendo o seu governo, tudo indica que teremos eleições mais tradicionais e acirradas. Não haverá fé cega e sentimentos de sonhos de uma noite de verão em relação a quem quer que seja. Além disso, o foco explorado por Rafael e sua equipe de marketing estragou os planos de qualquer jovem, qualquer coisa nova e “diferente” por aí. O campista está tão frustrado com o diferente que não quer mais apostar no novo, quer mais do mesmo.

Não é à toa que Wladimir Garotinho reina supremo nas pesquisas. Apesar de jovem, o deputado tem no governo da sua mãe Rosinha a coisa mais próxima da lembrança de uma cidade organizada na cabeça do campista, por incrível que pareça. Rafael Diniz, com sua desastrosa gestão, ressucitou quem havia acabado de assassinar. Um “jênio”, diria o poeta!

O grande problema de Wladimir  não são as urnas, o sobrenome Garotinho traz consigo vários defeitos e problemas, mas medo de urna não é um deles. O grande desafio do deputado é a judicializacão da eleição. Há gente grande do governo dizendo que Wladimir não preocupa, porque sequer poderá disputar a eleição. E não é surpresa pra ninguém que o judiciário pensa em tudo menos em justiça quando vê o nome Garotinho sambando em sua frente. É só lembrar essa última coercitiva, sem pé nem cabeça, verdade seja dita.

A irmã do deputado, também deputada federal Clarissa Garotinho, disse, na tribuna da Câmara, que a tendência é perseguirem o seu irmão. “Só falta agora fazerem algo com meu irmão, já que ele lidera as pesquisas em Campos”.

Wladimir vem exercendo um mandato reconhecido pela imprensa e população, mas os fantasmas do MP, Bangu e cia ainda rondam o sobrenome que ele carrega.

Tudo indica que a eleição do futuro se resolverá com base no passado. A disputa dos sobrenomes mais tradicionais da política campista, Garotinho e Vianna. O saudosismo tende a pesar, e a história parece decidir o novo, ou velho, rumo que Campos poderá tomar. E se o judiciário deixará a bola rolar…

 

Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS

error: Conteúdo protegido.