O TRE-RJ negou na noite desta quarta-feira(17), o pedido de cassação da prefeita Rosinha Garotinho (PR) e do seu vice, o Dr. Chicão (PP). A decisão tomada hoje, anula o decreto que condenava a prefeita e o vice a perda dos cargos, inelegibilidade de 8 anos e multa. A decisão tinha sido tomada devido a contatação de pelo menos 1.116 servidores temporários as vésperas da campanha de reeleição em 2012.

O colegiado decidiu voltar atrás, pois entendeu que não houve irregularidade, já que as contratações foram feitas dentro do período previamente estabelecido pela constituição, que autoriza a contratação de novos servidores em um prazo de pelo menos 3 meses antes das eleições.

Além disso, também entendeu, por maioria, que não ficou comprovada a gravidade necessária para configuração do abuso de poder político, pois a eventual ilegalidade das contratações não revelaram o proveito eleitoral auferido pelos investigados. Cabe recurso ao TSE, em Brasília.

A Ação de Investigação Judicial Eleitoral (AIJE) foi proposta pelo candidato derrotado à Prefeitura da cidade em 2012, José Geraldo Moreira Chaves e pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB), que contestavam o fato de os processos seletivos terem sido publicados em maio e junho, próximo ao período vedado pela legislação, que se iniciou em 7 de julho de 2012. O Colegiado do TRE-RJ ressalvou, porém, que eventuais indícios de irregularidades na gestão ou improbidade administrativa devem ser objeto de contestação em ação judicial própria, ajuizada no Tribunal de Justiça do Estado do Rio de Janeiro.
Comente com o seu Facebook