fbpx

#SigaOCLICK

SJB tem 233 solicitações de remoção de abelha em 2021

MAIS LIDAS

A Defesa Civil de São João da Barra, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Segurança Pública, atendeu, entre janeiro deste ano e 14 de outubro, 233 solicitações de remoção de colmeias de abelhas africanas que ofereciam risco à população. Além de proteger as pessoas e animais, o trabalho garante a preservação desses insetos polinizadores, que invadem e se instalam em áreas urbanas do município. O atendimento é feito mediante solicitação pelo 199 ou 2741-8370.

A equipe é composta por um apicultor e agentes da Defesa Civil que atuam na parte da noite, momento em que as abelhas estão mais calmas. Apesar dos serviços serem realizados também na área rural, mais de 90% dos atendimentos são feitos na área urbana, onde a ação se torna mais complexa devido à dificuldade de acesso aos enxames que geralmente se instalam em forros, telhados, embaixo de caixas d’água, postes, prédios e árvores.

- Advertisement -

 – Quando recebemos um chamado durante o dia informando que as abelhas estão agitadas e atacando é feito um isolamento da área e, ao anoitecer, é realizada a remoção, que requer técnica, tempo e muitas vezes a ajuda de outros órgãos. Somente em março, considerado um dos meses mais quentes do ano, foram registrados mais de 60 atendimentos – informa o coordenador da Defesa Civil, Marco Antônio Ribeiro, acrescentando que esses animais são importantes polinizadores, essenciais para nossa existência. Por isso são soltos em matas ou removidos para criadores profissionais.

– A remoção de abelhas deve ser feita somente por um profissional da área. Por isso é fundamental comunicar à Defesa Civil, isolar o local e aguardar o atendimento. O veneno das abelhas oferece risco de morte aos alérgicos se os devidos cuidados não forem tomados. A pessoa atacada deve procurar imediatamente uma unidade de saúde, independente de ser alérgico, pois pode ocorrer choque anafilático e reações tóxicas na pele – orienta Marco Antônio.

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais notícias