Campos

Setor de transporte da Prefeitura já economizou R$ 3 milhões em combustíveis

Com objetivo de economizar no gasto com combustíveis, a Prefeitura de Campos, através do departamento municipal de Transporte, reduziu em aproximadamente R$ 3 milhões os custos no somatório de 2017 e 2018, em comparação com os anos de 2015 e 2016, mesmo com o aumento no preço dos combustíveis. Segundo o diretor do setor, Pedro Paulo Pessanha, esse ganho é resultado de um trabalho de conscientização e orientação aos profissionais da área.

De acordo com o departamento, nos últimos dois anos da gestão anterior, foram gastos mais de R$ 12,8 milhões em combustíveis, enquanto em 2017 e 2018, já com a estimativa de gastos até dezembro, o valor deverá chegar cerca R$ 9,9 milhões sem afetar os serviços essenciais.

— É bom ressaltar que conseguimos economizar mesmo com o aumento do preço dos combustíveis, já que no ano de 2015 o litro da gasolina custava R$ 3,08 e neste, chegou a R$ 5,11, sem falar no diesel que também subiu de R$ 2,99 para R$3,60, em média. Se o preço dos combustíveis não estivesse aumentado nesse período, a economia chegaria a R$ 3,6 milhões. Essa economia que vem sendo feita é uma prestação de contas aos munícipes, segundo uma determinação do prefeito Rafael Diniz. Com esse cuidado com o dinheiro público, obtivemos essa redução — disse o diretor.

Pedro acrescenta que o novo contrato firmado via licitação será possível diminuir gastos operacionais do sistema, como taxas de manutenção do cartão de abastecimento. “Quando o prefeito Rafael Diniz assumiu a Prefeitura, essa taxa era de 3,5% sob o gasto da Prefeitura. Desde o início do governo, conseguimos baixar para 2,4% e, agora, com esse novo contrato que vai entrar em vigor no dia 9 de outubro, conseguimos reduzir para 0,9%. Isso vai gerar ainda mais economia. É um trabalho rigoroso, compromisso com o dinheiro público”, destacou Pedro.

Leilão de veículos — Segundo o diretor, o leilão de veículos que estão sem condições de uso ao serviço público será realizado até o final deste ano no antigo Ceasa e tem como objetivo de solucionar a questão dos veículos parados.

— Por conta da eleição, tivemos um atraso para a realização do leilão, mas estamos marcando uma nova data para ser realizada até dezembro. Esses veículos que são de herança dos governos passados geram muitas despesas, pois mesmo parados necessitam da regularização para o licenciamento. Até o momento, são 280 veículos inservíveis — informou Pedro Pessanha.

Comente com o seu Facebook
Setor de transporte da Prefeitura já economizou R$ 3 milhões em combustíveis

To Top
error: Conteúdo protegido.