fbpx

#SigaOCLICK

Segundo maior avião de carga civil do mundo aterrissa em Cabo Frio com 40 toneladas de insumos

MAIS LIDAS

O segundo maior avião de carga civil do mundo aterrissou no Aeroporto Internacional de Cabo Frio, na Região dos Lagos do Rio, na tarde desta quinta-feira (9).

O Antonov AN-124-100 chegou de Houston, nos Estados Unidos, com 40 toneladas de insumos para a indústria com destino a Macaé, no Norte Fluminense.

- Advertisement -

O aeroporto em Cabo Frio é habilitado para operar grandes aeronaves cargueiras e tem capacidade de movimentar 570 mil passageiros por ano.

“Contamos com a segunda maior pista do Estado do Rio de Janeiro, uma equipe de nível internacional e uma solução logística completa, o que possibilita à região receber aeronaves do porte do Antonov AN-124-100”, afirma Rodrigo Abreu, diretor-geral do aeroporto.

O Antonov AN-124-100 tem 68,9 metros de comprimento e pode embarcar até 150 toneladas de cargas. Considerado o segundo maior cargueiro no mundo, só perde para o AN-225, também da Antonov.

O modelo já transportou vagões de trem para a Irlanda. E, nos Estados Unidos, até mesmo um submarino de resgate da Marinha Americana foi “passageiro”. As aeronaves também são usadas em ações humanitárias.

O Aeroporto Internacional de Cabo Frio foi inaugurado em 1998, sendo o primeiro aeroporto público com gestão privada do Brasil. Em 2010, teve sua pista ampliada, tornando-se a segunda maior pista do Estado do Rio de Janeiro.

Atualmente, utilizam o aeroporto as empresas Azul e Gol, que oferecem voos comerciais de passageiros; e a Latam, com voos comerciais de cargas. Além disso o aeroporto também recebe voos internacionais fretados de passageiros e carga, e de aviação geral (voos particulares) e offshore (voos de helicópteros para as plataformas de petróleo).

“O aeroporto tem localização estratégica não só para a atividade turística na Costa do Sol (o equipamento está no entorno das belíssimas praias da região), mas também para o desembarque de insumos e implementos para a indústria de óleo e gás, muito forte na região”, lembra a empresa.

Fonte: g1

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais notícias