Rapaz se prostitui para pagar pensão alimentícia e é preso ao reclamar à polícia de calote

Um rapaz, de 26 anos, que diz ter passado a se prostituir para pagar a pensão alimentícia, foi preso ontem após ir até a delegacia do Leblon reclamar que não havia recebido o pagamento por uma programa que fez na cobertura de um apartamento no bairro, com duração de 48 horas, com um casal gay. Ele tinha um mandado de prisão ativo, desde fevereiro deste ano, por não pagar a pensão ao filho de seis anos, que já totaliza o valor de R$ 12 mil.
Paulistano, ele afirmou que veio ao Rio para “uma temporada lucrativa”. “Sou casado, minha esposa sabe o que eu faço. Por conta da crise financeira passei a me prostituir. Pago minha faculdade, meu apartamento e tento ajudar o meu filho. Eu paguei parte da pensão para a mãe dele, mas a justiça ainda não deu a baixa no mandado”, disse na delegacia. Ainda segundo Felipe, que usa esse nome nos programas, ele chega a arrecadar com essa atividade entre R$ 10 mil a R$ 15 mil por mês.
- Participe -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.