Rafael Diniz volta atrás e não deve conceder reajuste aos servidores

Uma reunião nesta tarde colocou água no chopp dos servidores em plena sexta-feira. Coube ao presidente da Câmara, Fred Machado, e ao líder do governo, Genásio, informarem aos presentes que o município não terá condições de reajustar o pagamento dos servidores em 4,18%. O motivo seria a queda na arrecadação do petróleo.

O vereador de oposição, Cabo Alonsimar, divulgou em sua rede social o que havia sido abordado na reunião e criticou duramente a atitude do prefeito Rafael Diniz, que segundo ele, chegou no limite da falta de respeito.

— Fomos surpreendidos com a informação de que o prefeito alega que hoje ele não pode cumprir nem o reposição que ele propôs inicialmente de 4,18% por causa da queda na arrecadação dos royalties. Não dá para acreditar que além de não negociar com a proposta apresentada pelos servidores por garantir que só poderia chegar aos 4,18% nesses contas bizarras que apresentam, agora o prefeito da mudança vem dizer que o que prometeu não vai cumprir? Ele está zombando do servidor. Chegou no limite da falta de respeito.

Na tarde desta sexta-feira (17), o vereador Fabinho Almeida solicitou a prefeitura de Campos através de ofício, que encaminhasse para a Câmara a proposta de reajuste em 4,18%. A medida tentava garantir que já no mês de maio os servidores tivessem o reajuste, mesmo que as negociações continuassem.

Na reunião desta sexta, estiveram presentes representante do SIPROSEP, SEPE, Associação dos Guardas e Associação dos servidores. Na última quarta-feira (15), Fred Machado havia recebido os mesmos representantes e recebido a proposta de reajuste e encaminhado ao prefeito Rafael Diniz. Confira abaixo a proposta que foi recusada.

- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.
WhatsApp chat