OS DETALHES DA SESSÃO 
A sessão da última quarta (09) na Câmara Municipal de Campos terminou com uma confusão envolvendo um assessor de uma vereadora, vereadores e até seguranças da casa de leis. A sessão já estava quente, já que alguns vereadores trocaram farpas envolvendo familiares de outros vereadores. A vereadora Joilza Rangel chegou a deixar o plenário chorando, após o vereador Zé Carlos comentar sobre a atuação do esposo da vereadora na ARSEP.

Zé Carlos também teve familiares envolvidos na polêmica no momento em que Miguellito relembrou que a filha de Zé foi uma das contempladas em um curso profissionalizante em que Miguellito era o responsável.

Foi após esses ataques que Marcelo Perfil utilizou a tribuna para pedir respeito aos familiares de todos os vereadores e assessores, coisa que não estava acontecendo por parte de Àquila Dias, assessor de Linda Mara. Segundo Perfil, Áquila utilizou a foto de um de seus assessores em um momento de lazer, para criticar a postura dele, insinuando que ele estava “aproveitando a vida” na praia durante o período de serviço, o que não era verdade.

Foi neste momento que Áquila se levantou e a confusão começou. Na gravação da TV Câmara, é possível ouvir o presidente da casa, Marcão Gomes, falando diversas vezes “Pode sair daí!”, pedindo para que Áquila voltasse para o local onde é destinado ao público. A partir daí, a confusão foi generalizada. Nas imagens é possível ver que apenas Thiago Virgílo tentou defender Áquila, e nenhum outro vereador de oposição quis “comprar a briga” naquele momento, nem mesmo a vereadora Linda Mara. O vereador Miguellito, por sinal, estava rindo da situação. O que nos leva a acreditar que até os aliados entenderam que o assessor passou dos limites.

MAS AFINAL, QUEM É AQUILA?
Como até esse episódio ninguém sabia quem era Áquila, fomos atrás do histórico recente do “bagunceirinho” da Câmara. Áquila Dias da Silva exerceu o cargo de Assistente Especial da Assessoria Particular da Prefeita Rosinha Garotinho, um DAS-5. Após as eleições em 2016, onde existiu um suposto esquema de compra de votos envolvendo o benefício do Cheque Cidadão, onde o programa era utilizado para comprar votos, Áquila foi assunto na mídia quando Beth Megafone denunciou em juízo o ex-assessor da prefeita Rosinha, dizendo que estava assustada com os ataques que sofria por Áquila, e que estes ataques não teriam ficado apenas nas redes sociais.

ATAQUES NAS REDES SOCIAIS JÁ ERAM CITADOS
Segundo Beth Megafone, testemunha chave da operação Chequinho, Áquila fazia postagens em sua página pessoal no facebook incitando o ódio das pessoas contra ela, que causou até ameaças de morte contra ela “Eu falei para o Áquila Dias que eu estava muito triste com tudo que ele vinha fazendo nas redes sociais comigo. Olha só doutor, eu não estou responsabilizando o Áquila, eu não sei de onde partiu a ameaça que eu sofri. Eu estou dizendo que eu já vinha sofrendo ameaças através das redes sociais. Pessoas debochando, pessoas falando mal, pessoas que simplesmente atacam por atacar. Elas são instruídas para atacar!”, disse Beth.

PEDIU CHEQUINHO PARA A MÃE
No mesmo depoimento, Beth relembrou que mesmo Áquila ocupando um cargo de DAS-5 na Prefeitura, ele pediu para ela que fosse feito um cadastro no programa social para ser destinado a mãe dele “Poxa vida, você me pediu um Cheque Cidadão para a sua mãe! Eu peguei o cadastro da sua mãe! E hoje você vai nas redes sociais falar mentira! Compartilhar de coisas que eu não falei, que eu não fiz. Como que você pode fazer isso?”, contou.

ATAQUES NAS REDES SOCIAIS SÃO NORMAIS PARA ÁQUILA
Quando perceberam que boatos como “novas eleições em maio” e coisas bizarras do tipo já não convenciam ninguém, Áquila e sua trupe partiram para o ataque pessoal, fazendo de forma baixa e na maioria das vezes, com inverdades. Áquila chegou a postar uma montagem do Diário Oficial do município colocando um conhecido jornalista da cidade como “Fiscal de Wi-Fi”, como se existisse o cargo.

CINCO MINUTINHOS DE FAMA
Tudo que Àquila queria eram os cinco minutinhos de fama, e causou inveja em pessoas do mesmo grupo. Agora todos do grupo espalham nas redes sociais que “também foram expulsos sem motivos da Câmara Municipal”. Alguns dizem que foram expulsos apenas por que olharam para vereadores.

QUEM MANDA FAZER ISSO?
Vale lembrar que Beth Megafone em depoimento à justiça, disse que quem mandava seus lacaios criarem tumulto, boatos, ataques pessoais e outras baixarias do tipo, era o líder do grupo, Anthony Garotinho.

VERSÃO DE ÁQUILA
Em suas redes sociais, Áquila disse que não houve nenhum ataque pessoal ao assessor de Marcelo Perfil, assim como também desmentiu que tentou invadir a área destinada aos vereadores, contrariando a versão dada por testemunhas.

EXONERADO
Na quinta (10), Áquila foi exonerado do cargo de assessor de Linda Mara, e não exercerá nenhuma atividade remunerada pela Câmara de Campos.

Comente com o seu Facebook