Procon-RJ fiscaliza bancos e flagra filas com mais de 200 pessoas na Baixada

Nessa segunda-feira, (22), o Procon Estadual do Rio de Janeiro realizou ação de fiscalização em 11 agências bancárias e quatro postos de atendimento dos correios nos municípios de Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Nilópolis, Mesquita e Belford Roxo para apurar denúncias e reclamações de consumidores e solicitação de providências da Alerj, através do Gabinete do Deputado Estadual Rodrigo Bacellar. Em nove bancos vistoriados, os consumidores precisaram aguardar pelo menos uma hora para serem atendidos. Alguns relataram que chegaram às 4:30h da madrugada para garantir o atendimento. Já nos Correios, os fiscais identificaram falha na prestação do serviço, já que os consumidores reclamaram que não conseguem informações de onde estão as suas encomendas e quando elas serão entregues.

Em agências bancárias, os fiscais identificaram ainda filas externas com aglomeração, sem marcação no chão para manter o distanciamento social, nem funcionários para organizar e orientar os consumidores. Idosos aguardavam juntos com os demais, sem haver diferenciação entre atendimento prioritário e convencional. Em um dos bancos, não havia uma separação na fila externa entre pessoas para atendimento nos caixas presenciais, FGTS e auxílio emergencial, gerando tumulto e espera de mais de 2h.

- Advertisement -




Enquanto no interior de uma agência havia lugares vagos para sentar, cidadãos aguardavam do lado externo da agência em pé. Um problema recorrente foi a ausência de autenticação eletrônica de pagamento no próprio documento, contrariando a lei estadual 6575/13. Os agentes ainda identificaram que algumas agências não possuem caixa adaptado para cadeirantes. Todos os bancos fiscalizados foram autuados.

Nos postos de atendimento dos Correios, os agentes identificaram atraso na entrega das encomendas e ausência de informação clara e precisa ao consumidor. Em uma das agências, o tempo de espera na fila foi superior a uma hora, não havia demarcação no chão, gerando aglomeração. Das quatro filiais fiscalizadas, três foram autuadas.

Fonte: Ascom




MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.