Campos

Prefeito convoca empresas de ônibus para conversa sobre o transporte

O prefeito Rafael Diniz convocou os responsáveis pelas empresas de ônibus que atuam no município para uma reunião, na segunda-feira (11), no intuito de buscar uma solução para as questões referentes ao transporte público. O presidente do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT), Renato Siqueira, o secretário da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha, e o secretário de Governo, Fabio Bastos, também participaram do encontro e pregaram o diálogo para resolver a situação.
 — Este é um problema que não surgiu no dia primeiro de janeiro de 2017, mas é algo que nós estamos trabalhando para resolver. Não é possível inviabilizar o serviço à população, faremos o que precisar ser feito para resolver o problema. Precisamos saber como os responsáveis pelas empresas irão nos ajudar para solucionar as questões – afirmou o prefeito.
Para o presidente da empresa Rogil, responsável pelo lote 3 e também presidente do Sindicato das Empresas de Ônibus de Campos, Gilson Menezes, esta é uma situação antiga e que só poderá ser resolvida através do diálogo entre o governo e as empresas.
— Quando há diálogo, a reunião é sempre proveitosa. Nós empresários colocamos nossas questões, o governo expôs sua realidade e estamos tentando achar uma saída para o melhorar o transporte público. Sabemos que essa questão não surgiu agora, temos consciência dos problemas herdados pela atual administração municipal — destacou o empresário.
O secretário da Transparência e Controle, Felipe Quintanilha, afirma que Campos está em um momento de quebra de paradigma em relação aos problemas relacionados ao transporte público e ressaltou que as mudanças não acontecerão de uma hora para a outra.
— Houve uma interrupção das linhas que atendem a localidade do Imbé e independente do problema, isso não pode ocorrer, pois se trata de serviço público essencial para população. Nós determinamos a retomada imediata do serviço e estamos dialogando no sentido de reiterar que o esforço precisa ser contínuo por parte de todos os envolvidos, enaltecendo que não pode haver suspensão de nenhuma linha em nenhuma localidade. Estamos estudando o sistema de transporte coletivo de uma maneira única com base nas necessidades do usuário, algo que ninguém até então havia feito, para propor, de fato, uma mudança em todo o sistema para que a população seja atendida. A população nunca teve um sistema de transporte que a atendesse plenamente, por isso, é preciso reformular, e para que isso ocorra da melhor maneira possível é muito importante que as empresas estejam juntas conosco para dialogar e resolver os problemas — declarou o secretário.
Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.