Praias lotadas aumentam risco de covid-19 e conjuntivite

Mesmo com o aumento dos casos de covid-19 no Brasil as praias estão lotadas e a aglomeração pode piorar nesse verão. Segundo o oftalmologista Leôncio Queiroz Neto do Instituto Penido Burnier estudos mostram que o olho e uma das portas de entrada da covid-19. “Isso porque, o canal lacrimal conecta o olho ao nariz e, portanto, ao sistema respiratório”, explica.

Ao contrário do que muitos imaginam, o oftalmologista diz que a água do mar não transmite a covid-19. As aglomerações, ressalta, são a principal via de transmissão. “Isso porque, no contato próximo uma pessoa contaminada elimina nos espirros e tosse partículas do SARS-COV-2, vírus da covid-19 que penetram na boca, nariz ou olhos de pessoas sadias”, explica. Outra forma de contaminação é tocar superfícies de uso comum contaminadas pelo coronavírus, como a mesa de um restaurante, balcão, bola, carrinho de supermercado ou outras e depois levar as mãos à boca, nariz ou olhos. É por isso que a higienização das mãos com água e sabão ou álcool gel deve ser feita várias vezes ao dia.

- Advertisement -




“Enquanto não temos acesso à vacinação, na praia continua obrigatório o uso de máscara e óculos com filtro UV (ultravioleta) para barrar o coronavírus e a radiação do sol” ressalta. O problema é que muitas pessoas estão deixando a proteção de lado. Por isso, o médico teme que os casos de covid-19 possam multiplicar ainda mais neste final de ano.

Conjuntivite

Queiroz Neto afirma que a doença mais frequente no verão é a conjuntivite. Olhos vermelhos, coceira, lacrimejamento, sensação de corpo estranho, ardência, fotofobia, visão embaçada e secreção nos olhos são os sintomas. A secreção varia conforme o tipo de conjuntivite: viral, bacteriana e alérgica.




MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.