Brasil e Mundo

Polícia prende PM reformado suspeito de estar no carro dos assassinos de Marielle

A Delegacia de Homicídios da Capital (DH) prendeu, na manhã desta terça-feira, um ex-PM acusado de ser um dos ocupantes do carro em que estavam os executores da vereadora Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes. A prisão do policial militar reformado Alan de Morais Nogueira, conhecido como Cachorro Louco, aconteceu por causa de um outro caso. Além dele, também foi preso o ex-bombeiro Luis Cláudio Ferreira Barbosa. Os dois são suspeitos de integrar a quadrilha de milicianos chefiada pelo ex-PM Orlando Oliveira de Araújo, o Orlando da Curicica.

Eles foram presos por serem acusados da autoria dos homicídios de um PM e um ex-PM no sítio de Orlando, em Guapimirim, na Baixada Fluminense, em fevereiro do ano passado, a mando do chefe da quadrilha de milicianos. A informação sobre o envolvimento dos dois partiu do mesmo delator que apontou que o ex-PM Alan Nogueira estava no carro dos executores.

Os mandados de prisão foram expedidos pela Vara Única de Guapimirim, inclusive o de Orlando — preso na Penitenciária Federal de Mossoró, no Rio Grande do Norte — apontado como mandante do crime.

Com essas novas prisões, a estratégia dos investigadores é justamente a de desestruturar o bando de Orlando da Curicica e elucidar o crime contra a parlamentar. Preso, Alan passa a ser uma peça importante nessa quebra-cabeça que virou o caso Marielle. A expectativa da polícia é que, preso e com as informações do delator contra ele, ele ajude a elucidar o que aconteceu na noite do crime.

No depoimento do delator, revelado em maio pelo GLOBO, a testemunha disse ter ouvido uma conversa de Orlando com o vereador Marcello Siciliano (PHS), num restaurante, no Recreio, em junho do ano passado. Na conversa, o vereador teria falado alto: “Tem que ver a situação da Marielle. A mulher está me atrapalhando”. Depois, bateu forte com a mão na mesa e gritou: “Marielle, piranha do Freixo”. Depois, olhando para o ex-PM, disse: “Precisamos resolver isso logo”.

A testemunha-chave, que está sob proteção desde maio, havia revelado que Alan participou da execução de Marielle e Anderson, além da morte de um policial lotado, na época do crime, no 16º BPM (Olaria). Segundo o delator, o ex-PM chegou a trabalhar no quartel da Maré, comunidade onde a vereadora nasceu e manteve suas raízes até a morte. A dupla, segundo a testemunha, estava, com outros dois homens, no Cobalt prata usado na execução.

As vítimas do duplo homicídio em Guapimirim são o policial militar José Ricardo da Silva, que estava lotado no 5ºPM (Praça da Harmonia), que entrou na corporação em 2005 e o ex-PM Rodrigo Severo Gonçalves. De acordo com as investigações, os dois também faziam parte do bando de Orlando e foram convidados para uma reunião no sítio do chefe da milícia, na localidade conhecida como Vale das Pedrinhas, em Guapimirim, onde foi preparada a emboscada.

O delator contou à DH Capital que Orlando descobriu que José Ricardo e Severo pretendiam traí-lo. Os dois foram mortos a tiros. Um dos atiradores chegou a dizer: “Isto é o que acontece com traidor”. Os corpos foram colocados num veículo e trazidos para a capital. Chegando à Rua Jorge Coelho, em Brás de Pina, na Zona Norte, os acusados Alan e Luís Cláudio teriam ateado fogo no carro com as vítimas dentro, a fim de destruir vestígios e dificultar a identificação delas. O crime ocorreu no dia 25 de fevereiro do ano passado.

Severo aparece na lista de policiais militares mortos no ano passado. Até o depoimento do delator de Orlando, a polícia não tinha pistas sobre os homicídios de José Ricardo e Severo. Houve demora até na confirmação das identificações das vítimas, cujos corpos foram carbonizados, após serem mortos a tiros.

Depois que a testemunha passou os detalhes da execução, a DH da Capital conseguiu imagens das câmeras do pedágio da concessionária CRT, que administra a Rio-Teresópolis, que confirmaram a passagem do carro, quando ele saía de Guapimirim para Brás de Pina, no dia do assassinato.

Comente com o seu Facebook
Polícia prende PM reformado suspeito de estar no carro dos assassinos de Marielle

To Top
error: Conteúdo protegido.