Polícia Civil faz operação em Campos contra pedofilia

A Polícia Civil do Rio realiza uma operação, na manhã desta quarta-feira (28), para combater a pornografia infantil através de grupos de aplicativos de conversas pelo celular. De acordo com a delegada Cristiane Aguiar, a idade das vítimas varia de 2 a 12 anos e muitos desses criminosos se disfarçam de crianças para induzir os menores a participarem das conversas.

“Eles se disfarçam, inclusive de criança, induzindo, instigando, ludibriando aquela vítima para participar de conversas”, relatou a delegada. O nome do grupo era “Caldo de Polo” .




Até as 10h30, duas pessoas tinham sido presas em flagrante, uma delas encaminhada para a 56ªDP (Comendador Soares), e outros nove suspeitos foram conduzidos para averiguação. Até o mesmo horário também tinham sido cumpridos 13 mandados de busca e apreensão.

Ainda segundo a polícia, as vítimas mais velhas chegaram a ter contato virtual com alguns dos suspeitos de pedofilia. Já as mais novas podem ter tido fotos e vídeos compartilhados por membros da própria família.

As investigações duraram três meses, e começaram a partir de uma denúncia no Disque-Denúncia. “A partir daí, nossos policiais se infiltraram nesses grupos de WhatsApp. Detectamos grupos compartilhando fotografias, vídeos em situação de abuso sexual. A idade dessas crianças varia de 2 anos de idade a 12 anos de idade”, afirmou a delegada.

As investigações da Delegacia da Criança e do Adolescente Vítima (Dcav) identificaram grupos formados por diversas pessoas pelo Brasil, incluindo o estado do Rio de Janeiro, que de forma irrestrita compartilham (recebem/enviam) fotos e vídeos contendo pornografia infanto-juvenil.

Desde o início a manhã, peritos analisam computadores de suspeitos na Cidade da Polícia e, caso encontrem conteúdo envolvendo pornografia infantil, serão realizadas prisões em flagrante.

Segundo a Dcav, o grupo formado por homens e mulheres atua, inclusive, fora do país. Treze pessoas são alvo de busca e apreensão em diversos locais do estado.

Os agentes cumprem cinco mandados na capital fluminense (Itaguaí, Jacarepaguá, Campo Grande e Andaraí), um em Miracema, dois em Campos dos Goytacazes, um em Araruama, um em Silva Jardim, um em Barra Mansa e um em São Gonçalo.

Fonte: G1
- Anúncios -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.