Permissionários de vans devem ficar atentos aos próximos passos da Prefeitura e IMTT

Artigo de opinião

Se até aqui o governo municipal possui uma marca, sem dúvidas é a falta de planejamento em seus atos, que fica mais uma vez evidente com o novo modelo de transporte municipal. As vans estão suspensas a partir desta sexta-feira (12). De agora até o dia 12 de agosto, os permissionários devem renovar a frota, instalarem GPS, adesivagem padrão e bilhetagem eletrônica.

Mas afinal, por que o IMTT tem tanta pressa para que o novo modelo seja instalado, mesmo que os permissionários ainda não estejam prontos? Mesmo que não exista nenhum terminal alimentador pronto? Como as empresas de ônibus do município vão colocar 260 ônibus nas ruas, contratarem motoristas e cobradores, para no próximo mês diminuírem todo o efetivo e demitirem estes profissionais? Por que não implementar o serviço a partir do dia 12 de agosto, com ponto alimentador pronto e permissionários com veículos preparados para o serviço?




Permissionários devem ficar atentos e buscarem soluções rápidas para o retorno de suas atividades. Um processo nebuloso, onde alguns ameaçam judicializar, podemos ter um final diferente do que foi proposto. Num passado recente, no 3° dia de sua gestão, o prefeito Rafael Diniz suspendeu “temporariamente” o programa Cheque Cidadão. Até o momento, sem retorno. O mesmo aconteceu com o programa Campos Cidadão, que garantia passagem a R$ 1 em todas as linhas da cidade. Inicialmente teve a suspensão por 90 dias, e também até hoje o programa não teve retorno.

Com um histórico de “suspender temporariamente” virando “eternamente”, fica difícil acreditar quando pode ser diferente. Fica a missão dada ao Felipe Quintanilha em colocar em prática todo o projeto, mesmo em tempo de contingenciamento de despesas e mesmo fazendo parte de um governo onde as marcas negativas superam as positivas.

- Anúncios -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.