O desabafo da Santa Casa: Um silêncio que passou dos limites.

Na última quinta-feira (23), o diretor da Santa Casa de Campos, junto dos administradores dos hospitais Álvaro Alvim, Beneficiência Portuguesa e Plantadores de Cana, fez um desabafo sobre o cotidiano da saúde de Campos e expôs o relacionamento dos hospitais com a prefeitura.

Sem rodeios, Cléber Glória denunciou a situação interna e externa da saúde municipal. Confira suas palavras na coletiva:

- Advertisement -

” O que está acontecendo é um desmonte na saúde de Campos. Não há respeito com os hospitais, médicos estão pedindo exoneração, não há reserva de medicamentos. Ferreira Machado e Hospital Geral de Guarus estão destruídos do ponto de vista físico. Há um desmonte de todos os hospitais. O município tem interesse em destruir os filantrópicos? Eu acho que o município tem interesse em destruir tudo. Porque HGG e Ferreira não têm condição de prestar atendimento a ninguém, somado a isso a incompetência da gestão que impede que os pacientes que estão internados precisando de atendimentos nos hospitais sejam transferidos para os filantrópicos para não gerar custo para rede próprio”.

“O paciente não é atendido na rede própria e também não está sendo transferido para o contratualizado. Porque ele não é transferido? Isso está acontecendo todos os dias. Eu ligo todos os dias, e esse desmonte tem que ser explicado. Esse silêncio passou do limite. Todos os hospitais estão de portas abertas, mas o poder público tem que autorizar” finalizou o diretor da Santa Casa.

Onde estão os 25 vereadores de Campos? É hora de agir, ou vamos esperar mais mortes?

 




- Participe -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.