fbpx

#SigaOCLICK

BLOG DO ALONSO BARBOSA

Artigos de opinião, legislação e análise jurídica

O caso de Campos e seu crescente número de “pedintes”.

Como já se sabe, a atual situação de nosso pais, no que trata de economia, não é das melhores. O número de desempregados vem em uma crescente constante(14,8 milhões segundo o último levantamento do IBGE), sem falar do número incrível de pessoas que tentam a vida a própria sorte vendendo algo, seja lá um hot dog ou hambúrguer nas suas casas, seja balas e garrafas de água nos sinais de trânsito.

Em Campos, essa crise se expande ainda mais, provavelmente em decorrência da pouca ajuda prestada pela prefeitura à população. O que se vê, em verdade, é o contrário, trata-se de um “empurrãozinho” para por ainda mais as pessoas em uma difícil situação financeira, com varias tentativas de lesar a população, entre elas a de aumentar os impostos através do novo código tributário. O discurso é que se precisa de mais dinheiro, mesmo com uma arrecadação superior a de 2020, quando ainda tínhamos um outro governo (e o então candidato, hoje prefeito, dizia que dinheiro tinha, que faltava gestão). Fato é que esse discurso não faz sentido algum, quando se tenta implementar um contrato de manutenção em escolas, saltando de R$ 8 milhões, para R$ 43 milhões, o mesmo serviço, como também no caso do contrato de iluminação pública, firmado com uma empresa que não é de Campos, saltando de R$ 6 milhões  para R$ 10 milhões, sim, não faz sentido.

O que qualquer gestor competente faria em momentos difíceis, seria reduzir custos e aumentar receitas. Acontece que o município não corta despesas, pelo contrário, busca aumenta-las, e para isso, o prefeito de Campos quer que a população sangre e sofra, para assim ter mais receita.

Muito em decorrência disso, o numero de pessoas passando extremas dificuldades em Campos dos Goytacazes só aumenta. Seja no Centro, na Pelinca, nos sinais de trânsito ou em qualquer lugar com grande movimentação de pessoas, vemos pessoas pedindo dinheiro ou vendendo para tentar assim o sustento da sua família. Acontece que esse quantitativo não para de subir; a cada dia que passa, mais pessoas vão tentar a sorte nas ruas.

A prefeitura tem nas mãos a possibilidade de ajudar a essas pessoas, basta enxugar os gastos, não firmar contratos mirabolantes e duvidosos e investir a arrecadação superior deste ano, nessa população. E não estamos sugerindo programas sociais populistas, que escravizam a população a dependência desta politica assistencialista, estamos falando de dar o peixe, mas também a vara e o curso de pesca para nossa população.

Todo conteúdo publicado é de responsabilidade do autor.

Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS