fbpx

#SigaOCLICK

Nutricionista apresenta a Ayurveda como o caminho para um envelhecimento ativo

MAIS LIDAS

“Sempre há possibilidade de melhora da qualidade de vida e da saúde como um todo, temos apenas que estar dispostos a fazer algo novo”, afirma Laura Pires em seu mais recente livro Aos 23 anos, depois de começar a perder a visão periférica dos dois olhos, Laura Pires foi diagnosticada com esclerose múltipla. O cenário que se descortinava era o de um tratamento pesado com corticoides, mas ela preferiu pegar um avião para a Índia. Era o início de uma longa jornada, que descreve em seu site como a de uma lagarta que aprenderia a voar como borboleta. A reboque ocorreu também uma virada profissional: abraçou a nutrição como nova carreira, incorporando os ensinamentos da Ayurveda em seu trabalho.
A autora do livro, Laura Pires
Divulgação
Autora de “O sabor da harmonia” e “Nutrindo seus sentidos”, seu recém-lançado “Longevidade” (Editora Rocco) vai muito além das receitas ayurvédicas. Embora a alimentação seja uma questão fundamental na obra, ela aborda os diferentes pontos que envolvem um envelhecimento ativo e saudável. Antes de continuar, uma pequena pausa para detalhar o que é a Ayurveda que, como Laura descreve, é “um sistema de medicina, uma filosofia, um modo de viver”. Vem do sânscrito e é a união de “ayu”, que significa vida, e “veda”, conhecimento – do corpo, dos sentidos, da mente, da alma. Em resumo, uma análise e terapia holísticas que constam das práticas integrativas e complementares em saúde, com a chancela do Ministério da Saúde desde 2019.
Caldinho de feijão com couve
Divulgação
Cursando uma pós-graduação em gerontologia, a nutricionista dá explicações sobre as alterações no tônus muscular e no sistema imunológico, detalhando a ação dos radicais livre que danificam as células, através de raios ultravioletas, alimentação desequilibrada, poluição, estresse. E lembra que, se não temos a eternidade, podemos nos empenhar para transformar o processo de envelhecimento: “sempre há possibilidade de melhora da qualidade de vida e da saúde como um todo; temos, muitas vezes, apenas que estar dispostos efetivamente a fazer algo novo. Não precisa ter a rotina, a alimentação ou a casa perfeita, as condições perfeitas. Elas não existem todas juntas ou para sempre. Seja ativo e encontre ‘brechas’ em meio às dificuldades para buscar uma transformação”.
Ao final de cada capítulo, há perguntas sobre o autocuidado: com que frequência a pessoa tem adoecido, se tem ido ao médico e realizado exames, como anda sua disposição e vitalidade. Para a Ayurveda, Dharma é nosso propósito de vida, nosso caminho, e há dois tipos de terapia: Shamana e Shodhana. Shamana são as terapias de pacificação dos desequilíbrios que estão ocorrendo, para evitar que se tornem uma patologia. Shodana são as de purificação, desintoxicação. Os alimentos são substratos para que o Agni aja no organismo. Trata-se da representação das funções metabólicas, regulando a digestão e a absorção dos nutrientes. Os sintomas de que há desequilíbrio são azia, prisão de ventre, gases, náuseas, falta ou excesso de apetite, entre outros.
Rasayana é o conjunto de práticas para a longevidade ativa; Dinacharya, a rotina de práticas saudáveis. Laura sugere uma mudança gradativa. Para começar, um diário sincero, listando tudo o que se consome. Depois de cinco dias, fazer um círculo verde em torno dos produtos in natura, frescos, e outro, vermelho, em torno dos processados e ultraprocessados. Propõe mudar aos poucos a dieta e lista as propriedades de diversos alimentos e suas características ayurvédicas. Para fechar, compartilha receitas que incluem infusões para ajudar no sono e sopas terapêuticas, como yavagoo, com arroz; e yush, à base de feijão ou ervilha.
Capa do livro “Longevidade: nutrição e Ayurveda para um envelhecimento ativo”
Reprodução

- Advertisement -

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais notícias