‘Não vou dizer que sou excelente presidente’, diz Bolsonaro, sob pressão de vacina e de ofensiva pró-impeachment

Em meio a críticas sobre a atuação do governo federal na pandemia da Covid-19 e após o governador João Doria (PSDB) ter protagonizado o início da vacinação no Brasil, Jair Bolsonaro afirmou nesta terça-feira (19) não poder dizer que é um “excelente presidente”, mas fez uma contraposição com administrações anteriores.

“Não vou dizer que sou um excelente presidente, mas tem muita gente querendo voltar o que eram os anteriores, reparou? É impressionante, estão com saudades de uma […]”, disse o presidente, em conversa com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada.

- Advertisement -




A fala do presidente foi transmitida por um site bolsonarista e ocorre também em meio a uma ofensiva de campanhas de opositores a favor do impeachment de Bolsonaro, impulsionadas pelo colapso da saúde em Manaus e pela reação negativa em relação ao início da vacinação no país.

Em meio ao desgaste do governo, Bolsonaro acenou para sua base ideológica na segunda (18) dizendo que “quem decide se um povo vai viver na democracia ou na ditadura são as suas Forças Armadas”.

Nesta terça, na breve interação com apoiadores, Bolsonaro também disse estar “cumprindo missão” à frente do governo.

O presidente está sob forte pressão com o avanço do coronavírus no Brasil e a eclosão, na semana passada, de uma situação crítica em Manaus após o esgotamento dos estoques de oxigênio.




MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.