Campos

Instalada segunda bomba para evitar alagamento em Custodópolis

Em ação conjunta, envolvendo a Coordenadoria de Defesa Civil Municipal, a Secretaria de Infraestrutura e Mobilidade Urbana, a Empresa Municipal de Habitação (EMHAB) e a Superintendência de Iluminação Pública, foi instalada nesta semana, a segunda bomba do Cisternão de Custodópolis, em Guarus. O equipamento, de mais de 3 toneladas, é para garantir o escoamento da água da chuva para a área conhecida como “Baixada do Grêmio”.
Os equipamentos ficaram muito tempo sem manutenção na administração passada e agora foram recuperados. Com o sistema formado pelas duas bombas, ambas 30kW e capacidade para escoar, cada uma, cerca de 10 mil litros de água por minuto, a expectativa é que não voltem a ocorrer os transtornos observados como até o ano passado, quando dezenas de residências na área ficaram inundadas. As bombas são acionadas automaticamente pelas boias que sobem ao entrar água no “Cisternão” com capacidade para 5 milhões de litros.
— Essa foi a área urbana em que a situação ficou mais crítica nos últimos temporais, mas agora esperamos não enfrentar alagamentos caso volte a chover forte. Além da recuperação e instalação das duas bombas no “Cisternão”, também foram realizadas limpezas nas galerias pluviais das ruas próximas e do sistema de drenagem que segue para o Canal do Vigário, que deságua na Lagoa do Campelo — explicou o diretor executivo da Defesa Civil, Edison Pessanha.
Há anos a área do campo do Grêmio e o trecho da Rua Rocha Leão no cruzamento com a Conselheiro Thomás Coelho são pontos críticos em dia de chuva. Em dezembro, último, a Prefeitura em parceria com as concessionárias Autopista Fluminense e Águas do Paraíba, recuperou a bomba do cisternão da Rua Rocha Leão.
As medidas adotadas desde o ano passado apresentaram resultados durante os últimos temporais registrados no município. No mês passado, por exemplo, quando em 24 horas foi registrado volume de chuva de 111,2mm, as bombas funcionaram nos dois pontos, escoando a água e evitando transtornos à população.
Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.