Emocionante, fantástico e inesquecível. Adjetivos que definem a semifinal entre Americano e Goytacaz, que aconteceu na tarde deste sábado (16), no Estádio Eduardo Guinle. Com um gol aos 44 minutos do segundo tempo, o Alvianil pôs fim a um jejum de 25 anos longe da Primeira Divisão do futebol estadual. No fim do jogo, o jovem Luquinha marcou o gol da vitória por 1 a 0 sobre o maior rival, que pelo terceiro ano seguido, bateu na trave em relação ao acesso.
Agora o Goytacaz espera o vencedor de Audax e America para saber quem será o seu adversário na final da Série B1 do Campeonato Carioca. A temporada ainda não acabou para o Americano. O Alvinegro vai ter que juntar os cacos para disputar a decisão da Copa Rio, contra o Boavista, nos dias 21 e 27.

Primeiro tempo emocionante, mas sem gols

Logo com dois minutos de jogo, o Goytacaz assustou. Almir bateu cruzado da esquerda, mas Luan não conseguiu chegar a tempo para finalizar. Em seguida, Gabriel Galhardo cobrou falta para a área, Luan desviou de cabeça, mas Adilson segurou firme. Como precisava da vitória, o Alvianil tomava a iniciativa do jogo, buscava o ataque, enquanto o Americano estava acuado em seu campo de defesa.
Depois da parada técnica o Americano acordou. Aos 24 minutos, Jairo Paraíba passou para Rafinha, que já dentro da área encheu o pé, mas parou no travessão. Em seguida, Espinho cobrou falta de longe e assustou Paulo Henrique, mas a bola foi para fora. Com o Glorioso equilibrando as ações, a partida ficou aberta com as duas equipes buscando o ataque.
Aos 34 minutos, Gabriel Galhardo arriscou chute de longe e mandou à esquerda da meta, assustando Adilson. O equilíbrio seguiu até o fim, com as duas equipes saindo para o ataque. Mesmo com boas chances de gols sendo criadas por Americano e Goytacaz, o primeiro tempo acabou 0 a 0.
Aos 43 minutos, Luquinha dá o acesso ao Goytacaz
No retorno do intervalo, o jogo voltou mais brigado, com as duas equipes marcando forte e parando o jogo com muitas faltas. O tempo ia passando e a tensão na partida aumentava. O Goytacaz buscava o ataque, pois só a vitória o interessava, enquanto o Americano apostava nos contra-ataques para tentar marcar o gol, mas as chances eram escassas na segunda etapa.
O primeiro momento mais agudo só foi acontecer aos 26 minutos, e foi do Goytacaz. Em cobrança rápida de falta, Luan tabelou com Rodriguinho, chutou da entrada da área, mas Adilson segurou firme, sem dar rebote. O técnico Paulo Henrique fez suas alterações colocando a equipe para o ataque. Mesmo com o empate lhe favorecendo, João Carlos Ângelo não fez mexidas para recuar a equipe e optou por mudar a linha de frente, renovando o gás do ataque.
Na base da raça, do coração, o gol do acesso do Goytacaz saiu aos 44 minutos. Após lançamento na área, a defesa do Americano falhou e a bola sobrou limpa para Luquinha, que encheu o pé e não deu chances a Adilson, que nada pôde fazer. Após marcar o gol, o atacante tirou a camisa, levou o segundo cartão amarelo e foi expulso. Mas isso não impediu o acesso do time da Rua do Gás, que depois de 25 anos está de volta à elite do Rio de Janeiro.
Comente com o seu Facebook