Governo fornece números incorretos para justificar recuo em reajuste do servidor

O secretário de Gestão Pública da Prefeitura de Campos, André Oliveira, concedeu uma entrevista ao programa Balanço Geral, da TV Record, no início da tarde desta quarta-feira (29). Para justificar o recuo na proposta de reajuste, André falou que a principal causa para a atitude foi a queda em 40% na arrecadação dos royalties no mês de abril. Acontece que a informação é incorreta. A queda geral em 2019 até aqui não chegou aos 5%.

Se compararmos o valor arrecadado em abril com o valor de março, de fato existe uma queda, mas de apenas 16%. Porém, historicamente o mês de abril tem queda na arrecadação dos royalties. Em 2018, por exemplo, a queda foi de 17,2% em abril, maior que a desse ano. Se compararmos com a arrecadação de 2018 até o mês de maio, variação é de menos de 5%. Bem diferente dos 40% citados por André.




Caso o secretário tenha se referido a arrecadação total do município, também causa estranheza, já que o município tem a previsão esse ano de ter uma arrecadação superior ao ano passado. Mas seria uma ótima chance do secretário abrir a caixa preta e divulgar os dados.

A fala de André mais uma vez nos leva a crer que o secretário está mais perdido que cego em tiroteio. Todos os dados informados acima já eram de conhecimento público há algum tempo, não havendo nenhuma “novidade” que justificasse a prefeitura recuar na negociação. O erro na estratégia de negociação, o desconhecimento dos dados reais e falta de perspectiva de melhora, faz com que cada vez fique mais claro que o barco está afundando.

Confira abaixo os dados da arrecadação, retirados do blog do economista José Alves de Azevedo Neto:

- Anúncios -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.