A política dentro de campo. A rivalidade centenária entre Americano e Goytacaz ganha novos contornos, e agora, com políticos estando a frente das discussões. Ao que tudo indica, o clássico campista marcado para o dia 11 de junho, válido pela última rodada do segundo turno (Taça Corcovado) será recheado de ingredientes apimentados, com Garotinho de um lado ajudando com a Prefeitura patrocinando, o Americano, e do outro lado, o Goytacaz que passa a contar com o apoio do Governo do Estado, através da Lei de Incentivo ao Esporte, o que foi anunciado oficialmente pela diretoria alvianil na quarta-feira (27/01).

O tema ganhou destaque quando há poucos dias o secretário de governo de Campos, Anthony Garotinho (PR) anunciou em seu programa diário de rádio, que não vai mais ajudar o Goytacaz, conforme aconteceu nos últimos anos, quando o clube foi presidido por dirigentes indicados por seu grupo político, além de ter a empresa de marketing esportivo, a Power Comunicação Integrada de seu filho, Wladimir Garotinho, como responsável por buscar investidores.

Com a presença do presidente do Americano, Luciano Viana no estúdio, Garotinho anunciou: “este ano tenho compromisso com o Americano”. O secretário municipal destacou ainda achar um absurdo Poder Público ajudar a clube de futebol em momento de crise e com dívidas, fazendo uma referência ao Estado. “Soube que esse pessoal do Goytacaz, que esses anos todos eu ajudei, disse que não quer mais ajuda minha e que Pudim disse que Pezão vai ajudar. Se Pezão tem dinheiro para o Goytacaz, deveria pagar primeiro os salários dos funcionários. “se está devendo como vai ter dinheiro para colocar em clube de futebol? Quem ajudar está fazendo muito bem porque o Goytacaz merece. Eu não tenho compromisso com nada”.

O secretário municipal deixou claro que a Prefeitura de Campos, mesmo devendo a uma legião de empresas e prestadores de serviços, além de entidades de segmentos variados, manterá a ajuda ao alvinegro campista. “O que não pode é cair em conto de mentiroso”, completou confirmando que não tem compromisso com o Goytacaz.

O Americano também vem contando com o patrocínio da Prefeitura, que por sinal na última temporada viabilizou o entendimento para que o alvinegro mandasse seus jogos como mandante, no Estádio Ary de Oliveira e Souza, do arquirrival, o que não mais acontecerá este ano, com a recusa da nova diretoria alvianil, que não abriu para negociação, e assim o clube que está tendo iniciada a construção de seu estádio, em Guarus, jogue na cidade de Cardoso Moreira.

LUCIANO VIANA CHAMA DIRIGENTES ALVIANIS DE INCOMPENTENTES
Presente no estúdio da rádio, o presidente Luciano Viana não perdeu tempo e chamou os dirigentes alvianis que estavam a frente do clube no período de apoio de Garotinho, de incompetentes. Na época de jogador, o então atacante de 1,73, apelidado de “perna curta’, não perdeu a oportunidade de espetar. “Mentira tem perna curta e acho que isso vai demorar por pouco tempo. Sou cria do Goytacaz e tenho história lá dentro. A ajuda que o senhor (Garotinho) deu ao Goytacaz era para estar na Série B do Brasileiro. (Eles) tem que assumir a incompetência. Sem a sua ajuda seria impossível de disputar (o estadual). Tinha que ter uma estátua sua lá dentro”.

Em resposta ao fato de Garotinho ter dito que a diretoria alvianil não desejava mais ter sua ajuda, o vice presidente alvianil Carlinhos Barreto declarou que não houve por parte de dirigentes do clube essa posição, mas que entende o momento de crise que a cidade vive e até mesmo a decisão do político. “Sobre a afirmação de Garotinho lamento a afirmação, pois o Goytacaz é grato a ele por tudo que fez, mas é um direito dele ajudar ou não. Se ele ficou magoado com alguém deveria expor. Toda a ajuda é bem-vinda e temos dito isso desde quando assumimos o clube, e diga-se de passagem em situação bem diferente do que dizem. O que a nova gestão não aceitar é interferência de fora do quadro que cuida do futebol. Cada um em seu lugar, e se ele hoje acha que deve ficar de fora, compreenderemos e vamos tocar nossa vida, porque o Goytacaz não merece ficar como encontramos”.

Poucos dias depois da posição de Garotinho, ao dizer que o deputado estadual e seu ex-aliado, Geraldo Pudim (PMDB) viabilizaria uma nova parceria com o estado, a diretoria do Goytacaz oficializou o entendimento, ao anunciar a aprovação do projeto da Lei de Incentivo ao Esporte, através do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS).

Comente com o seu Facebook
COMPARTILHAR