Campos

FIM DA NOVELA? Prefeitura de Campos deve retirar São Salvador e todo o consórcio União de circulação nos próximos dias

A crise no transporte público de Campos ganhou um novo capítulo nesta segunda-feira (26). Após a Prefeitura de Campos dar um prazo de 48 horas úteis para o consórcio União regularizar a situação das 41 linhas onde atua e nada ser feito por parte do consórcio, as consequências começam a aparecer.

As 41 linhas atendidas pelas empresas São Salvador, Turisguá, Siqueira e Cordeiro vão ser oferecidas para outros consórcios. O consórcio Planície, liderado pela empresa São João, é o único que possui capacidade para assumir as 41 linhas, segundo o proprietário da empresa.

A decisão o IMTT é baseada em ‘quebras contratuais’ por parte do consórcio, com o desrespeito à lei de Greve, onde por várias vezes o consórcio teve greves sem assembleias, sem anunciar a greve com um prazo prévio de 72 horas, e além disso, o desrespeito ao número minimo de ônibus circulando. Também foi destacado que os ônibus não possuem o sistema de bilhetagem eletrônica.

DIVIDA COM A PREFEITURA

Outro ponto destacado no documento seria que o consórcio deve a prefeitura, já que não está pagando multas e parcelas das compras dos ônibus. O valor ainda não foi revelado, mas a principal alegação do consórcio para justificar os constantes problemas seria que a Prefeitura de Campos deve repasses ao consórcio.

Buscando os dois lados da informação, tentamos contato com os responsáveis pelo Consórcio União, porém, não obtivemos respostas até a publicação desta matéria.

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.