Felipe Araújo prevê ‘melhor show da vida’ em SP ao voltar aos palcos após 8 meses

Felipe Araújo, 25, se prepara para retornar aos palcos, neste sábado (28), em apresentação no Villa Country, na zona oeste de São Paulo. O show seria só mais um na lista dos mais de 20 que ele se acostumou a fazer por mês durante toda a sua trajetória, mas ganha contornos especiais por ser o primeiro após oito meses de pausa.

Com a pandemia do novo coronavírus, Araújo se apresentou apenas lives pela internet. Agora, com todos os protocolos de prevenção contra à Covid-19, ele poderá subir mais uma vez ao palco com o sentimento de que esse poderá ser um dos mais importantes de sua vida. “Estou ansioso em voltar a fazer o que mais amo e a ver o público de perto. Vou fazer de tudo para ser o melhor show da minha vida, um dos mais importantes da minha carreira. Será um dos dias que vão ficar na memória para sempre.”

- Advertisement -




No repertório estarão canções como “Atrasadinha”, “Espaçosa Demais”, “A Mala É Falsa”, “Chave Cópia” e “Amor da sua cama”, além das mais recentes “Reincidente”, “Conversa Confidencial”, “Melhor Amigo” e “Eu Disfarço Mal Demais”, do EP “Eu e Vocês”, lançado em junho deste ano.

O palco será em 360 graus, com todos os fãs ao redor do cantor. Villa Country diz que o posicionamento do público será feito pela demarcação no piso de forma a garantir o distanciamento social. O uso de máscara é obrigatório e haverá checagem de temperatura na entrada. A casa abre às 20h, e os ingressos custam a partir de R$ 240.

O cantor até brinca sobre as condições em que voltará após tanto tempo na espera. “Nunca havia ficado oito meses parado desde os 15 anos. É desafio. A gente não desaprende, mas fica meio enferrujado (risos), porque não está praticando, vivendo a vida que vivia. Mas quando voltar, nas primeiras músicas já desenferruja”, diz ele, para quem os aplausos do público são como “combustível”.

A vida profissional de Araújo voltará a ser uma incógnita após o show deste sábado. Com o aumento dos casos de Covid-19 no Brasil e a incerteza se as casas de shows, se continuarão abertas, o artista diz não sabe quando poderá cantar com a presença de público novamente. E, apesar de ter apresentações já marcadas para dezembro e janeiro, diz estar preparado para eventuais cancelamentos.

Enquanto isso, Felipe Araújo afirma que vai compondo e se preparando para quando o chamado “novo normal” se consolidar de vez. “No começo dessa pandemia foi meio complicado. Nunca imaginei que seriam oito meses de ‘folga’. Fiquei preocupado com tudo, com as pessoas. Graças a Deus foi tempo de olhar o lado bom, de aprendizado e autoconhecimento. Deu para a gente aprender e valorizar muita coisa.”




MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.