fbpx

#SigaOCLICK

Ex-titular da seleção, Philippe Coutinho vira reserva de um Barcelona sem astros

MAIS LIDAS

A Era Tite marcou o início de uma reformulação que alçou novos talentos à seleção brasileira. Quase seis anos depois da chegada do treinador, Casemiro, Marquinhos e Roberto Firmino são alguns dos selecionáveis que continuam atuando em alta na Europa, mas o caso mais curioso é o de Philippe Coutinho. Se antes o apoiador era peça de desequilíbrio com a camisa do Brasil, hoje amarga a reserva de um Barcelona que carece de nomes de peso. De olho em uma vaga no Mundial do Catar, um retorno ao futebol brasileiro é visto com bons olhos pelo atleta, que tem Palmeiras e Flamengo entre os principais interessados.

Se o time espanhol faz uma temporada discreta, Coutinho tem presença ainda mais acanhada na equipe espanhola. Com um elenco recheado de jovens, os catalães estão fora das oitavas de final da Liga dos Campeões pela primeira vez em 20 anos e fazem campanha irreconhecível no Campeonato Espanhol – é apenas sétimo colocado, com 28 pontos. Nem mesmo assim o brasileiro caiu nas graças da comissão técnica, atuando como titular em apenas cinco partidas na temporada e apenas 58 minutos sob o comando de Xavi. O novo comandante acredita que o brasileiro precisa “recuperar a confiança” para ganhar espaço.

- Advertisement -

“Coutinho é alguém que pode jogar em várias posições e pode ser importante para a equipe. Ele precisa se reencontrar e recuperar a confiança. Se o fizer, vai nos ajudar muito. Ele tem um talento inato”, disse Xavi.”Depende dele. É mais psicológico do que qualquer coisa porque ele tem talento”, disse o técnico em entrevista ao canal espanhol TV 3.

Coutinho chamou a atenção do Barcelona após as grandes atuações pela seleção brasileira nas Eliminatórias da Copa do Mundo da Rússia, sendo contratado junto ao Liverpool, em 2018, por 145 milhões de euros (R$ 633 na cotação da época). Jogador mais caro do clube espanhol, o brasileiro desembarcou na Espanha com a missão de “substituir” Neymar, transferido ao PSG, mas não conseguiu repetir o mesmo futebol que exibiu na Inglaterra.

As más atuações pelo Barcelona não ofuscaram a imagem do jogador com Tite. Blindado na queda do Brasil para a Bélgica no Mundial de 2018, o meio-campista foi titular na conquista da Copa América, no ano seguinte. Entretanto, não conseguiu manter o nível no Barcelona e acabou sendo emprestado ao Bayern de Munique, em 2019, após diversas críticas da imprensa local.

Assim como no Barça, Coutinho chegou na Alemanha novamente com missão de preencher a lacuna de um astro, herdando a camisa 10 de Robben, que acabara de pendurar as chuteiras. Após um início promissor, não demorou muito para o brasileiro ser preterido e perder espaço para atletas mais jovens. Com valor de passe fixado em 120 milhões de euros (R$ 724 mi na cotação da época), o brasileiro não teve a opção de compra exercida pelos alemães ao final do seu empréstimo, ocorrido durante a pandemia.



O retorno à Espanha também passou longe de ser o ideal. Pouco tempo depois de se recuperar de uma cirurgia no tornozelo direito, uma lesão no menisco do joelho esquerdo tirou Coutinho de ação por nove meses, fazendo o brasileiro perder metade da última temporada e o afastando também da seleção brasileira.

Aos 29 anos, Philippe Coutinho lidera a lista de dispensa do Barcelona, que deseja negociar o jogador ainda na janela de transferências do mês de janeiro para aliviar a folha de pagamento da equipe. De acordo o jornal britânico Daily Mail, o Tottenham e o Newcastle estariam dispostos a fazer uma oferta pelo atleta. Um regresso ao futebol inglês não está descartado, mas o retorno ao Brasil também é uma opção. Segundo o programa espanhol El Chiringuito, da TV Mega, o meio-campista comunicou ao clube espanhol seu desejo de voltar ao País.

Palmeiras e Flamengo monitoram a situação do jogador. Nas redes sociais, torcedores do time alviverde pediram a contratação de Coutinho à nova presidente do clube, Leila Pereira. Um acordo, porém, teria de passar por uma readequação financeira por parte do brasileiro, que recebe anualmente cerca de 30 milhões de euros (R$ 194 milhões na cotação atual). Uma possível venda de Raphael Veiga, na mira de clubes da Europa, poderia dar asas à negociação.

RETORNO DE COUTINHO À SELEÇÃO É ALENTO – Figurinha carimbada de outrora, Coutinho surpreendeu boa parte dos torcedores após ser convocado por Tite para os jogos contra Colômbia e Argentina na reta final das Eliminatórias para a Copa do Mundo do Catar, em 2022. No retorno, o meio-campista reconheceu a falta de minutagem nos meses anteriores, no qual ficou se recuperando, mas creditou sua presença ao seu esforço.

“O segredo disso é o trabalho e a dedicação, é isso que proponho a mim a cada dia que passa. Não tive sequência de cinco, seis jogos seguidos jogando para estar no meu melhor nível, mas com trabalho as pessoas vão voltar a me olhar com outros olhos”, disse o jogador.

Na ocasião, Tite admitiu que um dos motivos para a convocação de Coutinho foi devido ao fato de não poder ter chamado Everton Ribeiro, do Flamengo, para não prejudicar a equipe nas competições nacionais e explicou que parte da escolha dos atletas se deve à concepção de jogo – com o Brasil passando a jogar sem um armador fixo, o jogador perdeu espaço também pela questão tática.



No entanto, o treinador brasileiro ressaltou que gostaria de ter mais opções no setor de criação do time, destacando o talento do meio-campista e alimentando as chances do atleta de brigar por uma vaga entre os convocados para o Mundial do Catar. “(Coutinho) é um grande jogador, retomando o seu padrão.”

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais notícias