Campos

Ex-procurador da Câmara já foi acusado de formação de quadrilha em Quissamã

A cidade de Campos amanheceu nesta quarta (20) com a revelação que Luiz Felipe Klem, ex-procurador da Câmara de Campos, é acusado de oferecer propina ao juiz Glaucenir, para evitar uma possível decisão desfavorável à Anthony Garotinho na operação Chequinho.

Acontece que não é a primeira vez que o nome de Felipe Klem aparece em denúncias junto com políticos. Em 2012, o advogado Marcelo Antônio Pinto dos Santos encaminhou ao presidente do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJ-RJ) uma notícia crime por formação de quadrilha e fraude a processo licitatório no município de Quissamã. A suposta fraude teria ocorrido em dois certames licitatórios no Legislativo. Citado na denúncia, o Felipe Klem afirmou que não houve qualquer tipo de influência no processo licitatório.

De acordo com o autor da denúncia, o suposto esquema envolveria parlamentares, advogados, procuradores, empresários e membros da Junior Chamber International (JCI). “O suposto esquema de fraude demonstra-se tão amador que os valores praticados pelas empresas para a prestação dos serviços possuem uma margem ínfima de variação pecuniária de uma empresa para outra, ensejando uma falsa impressão de legalidade e escolha do serviço mais vantajoso”, afirmou.

A notícia crime solicita que o TJ adote providências legais, remetendo ao Ministério Público Estadual documentos que “comprovam os supostos crimes (art. 90 da Lei 8666/93) e (art. 288 do Código Penal)”.

A ação corre em segredo de justiça

RELAÇÃO ANTIGA COM GAROTINHO

Em 2011, quando estava á frente da Convenção Nacional da JCI Brasil (antiga Câmara Junior), Klem concedeu ao então deputado federal Anthony Garotinho, um novo troféu relembrando os 20 anos do Prêmio Toyp recebido quando teve destaque como Prefeito de Campos. A premiação foi destaque na capa de um jornal local.

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.