Campos

Dr. Edson Batista se recusa a presidir a Câmara Municipal de Campos

O presidente da Câmara Municipal de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, Edson Batista, emitiu nota oficial no começo da noite desta quarta-feira (21) dizendo a seguinte frase, de forma clara e destacada: “não presidirei nenhuma sessão até que a ordem jurídica democrática seja reestabelecida!” (veja nota na íntegra). A medida representa o repúdio do parlamentar à decisão da Justiça Eleitoral que afastou três vereadores da Casa neste mês e impediu a diplomação de outros seis parlamentares eleitos para 2017.

Dos 25 parlamentares de Campos, 11 são citados nas investigações da Operação Chequinho da Polícia Federal, sobre o uso do Cheque Cidadão para a compra de votos. A decisão cabe recurso.

“Eu respeito a ordem judicial mas não concordo com essa decisão. Como representante da Casa, não posso me calar diante dessa harbitrariedade. Esses três vereadores eleitos em 2012 não respondem a nenhum processo em relação a esse mandato, e a falta deles pode comprometer as decisões da casa. Pois vai faltar o conjunto, que mantém o equilíbrio dos trabalhos”, desabafou o presidente.

O presidente afirmou que a decisão não afeta as atividades legislativas já que outros podem assumir a função.

“Como vice-presidente está entre os afastados, podem conduzir a sessão o segundo vice, ou o primeiro e o segundo secretário. Isso fica a critério de cada um deles. Eu não posso aceitar”, complementou.

Ao longo da nota, o presidente da Câmara expressa sua indignação em trechos, como: “O Coliseu foi substituído pelo território sem lei da internet”, “Na juventude resisti a ditadura e lutei pela democracia…Consternado , reconheço que esta luta não foi vencida”.

notaoficialpresidentedacmara1

Com informações do G1 – Norte Fluminense

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.