Brasil e Mundo

Comandante do Exército pediu a Temer verbas e mudança na legislação para a intervenção no Rio

O comandante do Exército, general Villas Boas, defendeu mudanças na legislação, recursos financeiros e maior integração entre o governo federal, o Poder Judiciário e o Ministério Público como forma de garantir o sucesso da intervenção federal na segurança do Rio. Nesta terça-feira, ele publicou a conversa com o presidente em seu perfil no Twitter, depois que o governo federal desistiu de pedir mandados coletivos como forma de garantir as ações militares nas favelas.
“Participei do Conselho de Defesa Nacional, onde apresentei ao Sr Presidente da República algumas considerações q entendo fundamentais ao êxito da Intervenção Federal no RJ: integração do Poder Judiciário e do MP, alteração no regramento jurídico e recursos financeiros adequados.” , afirmou o general.
O general também solicitou, no Twitter do Exército, uma campanha de esclarecimento sobre a importância da intervenção:
Pedi ao twitter do @exercitooficial que iniciasse uma campanha de esclarecimento junto à sociedade brasileira sobre a #intervençãofederal na segurança do RJ, abordando conceitos e comunicando ações.”
As declarações do comandante do Exército reverberam o que pensa a própria instituição. Oficiais do Comando Militar do Leste já haviam expressado preocupação com o que consideram insegurança jurídica para atuar na guerra contra o crime.
PEDIDO DE MAIS VERBA AINDA NÃO FOI FEITO
Apesar do pedido de recursos financeiros feito pelo general, nesta quarta-feira o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, disse que até o momento, não houve nenhuma solicitação das Forças Armadas por recursos adicionais. Ainda segundo ele, verbas disponíveis dentro do orçamento das Forças Armadas estão sendo direcionadas para a ação no Rio.
— Nós temos verbas disponíveis dentro do orçamento para a ação das Forças Armadas e que estão direcionando isso para a ação no Rio de Janeiro. Até o momento não há nenhum pedido especifico de recursos adicionais.

 

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.