A deputada federal Clarissa Garotinho solicitou licença de 120 dias do congresso nacional devido ao motivo de estar com 34/35 semanas de gravidez. O fato chamou atenção por ser em uma das semanas mais importantes da história do congresso nacional, onde será votado o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff.

Por se tratar de uma licença de 120 dias, não será necessário um suplente para Clarissa, já que só é necessário a presença de um suplente quando a licença é de um período maior do que 120 dias. Com isso, teoricamente o governo ganha mais um voto contra o impeachment.

O secretário de governo de Campos, Anthony Garotinho, divulgou uma nota em seu site, onde comenta o caso e sobre especulações que surgiram. Confira:

Pessoas inescrupulosas e sem nenhum compromisso com a verdade tentam espalhar mentiras contra minha filha Clarissa Garotinho e também envolvendo o meu nome. Vamos aos fatos.

“A deputada Clarissa Garotinho está grávida de 35 semanas como mostra o atestado médico reproduzido abaixo. Seria um exercício de futurologia, ela engravidar para fugir da votação no dia marcado pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha. Será que alguém há 8 meses atrás já sabia a data em que o impeachment seria votado?

Todo o cidadão minimamente informado sabe que após o sétimo mês de gravidez, os médicos proíbem as gestantes de viajar de avião. Na semana passada, desobedecendo seu médico, Clarissa viajou a Brasília e foi parar no Departamento Médico da Câmara.”.

aplicativo2322

 

Comente com o seu Facebook
COMPARTILHAR