Br

Chefe é chefe, né pai? Garotinho é preso pela PF no Rio de Janeiro

A Polícia Federal acaba de prender o secretário de Governo de Campos e marido da prefeita, Anthony Garotinho, em seu apartamento no Flamengo, Zona Sul do Rio de Janeiro por agentes da Polícia Federal de Campos dos Goytacazes. Garotinho foi preso por suspeita de ser o grande mandante de um suposto esquema de compra de votos envolvendo o benefício Cheque Cidadão.

Garotinho que tem 56 anos, começou a vida política ainda na adolescência no movimento estudantil. Foi eleito deputado estadual e em 1989 foi o prefeito mais jovem a assumir a Prefeitura de Campos. Garotinho se reelegeu prefeito em 1996, onde ficou no cargo até 1998. Em 1998, Garotinho venceu as eleições para governador do estado do Rio de Janeiro. Em 2002, concorreu ao cargo de presidente da república pelo PSB, onde na ocasião ficou na terceira colocação, com aproximadamente 15 milhões de votos.

Após a sua candidatura para presidência da república, Garotinho acumulou pequenas vitórias políticas, mas o que chamou a atenção foram as importantes derrotas. Em 2010, quando se elegeu deputado federal, Garotinho viu o seu candidato ao governo do estado, Fernando Peregrino nem sequer ir ao segundo turno das eleições, em 2014 quando era líder das pesquisas para o governo do estado, Garotinho teve uma queda  brusca e sequer foi ao segundo turno, chegando inclusive a ser menos votado em Campos do que Luis Fernando Pezão. Em 2016, viu o seu primo Dr. Chicão perder uma eleição que o seu grupo político dava como certa, mas mais que a derrota, os detalhes chamam a atenção. Garotinho viu o seu grupo sair do poder com uma derrota com a metade dos votos do candidato Rafael Diniz, que tinha apenas 28 segundos de televisão e rádio.

Após a derrota nas urnas, Garotinho também viu a estrutura do seu grupo ruir bruscamente com diversas prisões da Polícia Federal aos seus aliados. Ao todo, 4 vereadores de mandato e uma 1 vereadora eleita estão presos, além de secretárias e outras pessoas do seu grupo. Além disso, a sua esposa, Rosinha Garotinho, é prefeita sob liminar, onde a qualquer momento pode ser destituída do cargo. Na Câmara Municipal, o grupo garotista que começou com 21 favoráveis e apenas 4 vereadores contra – Rafael Diniz, Marcão, Fred Machado e Nildo Cardoso -, neste momento já é minoria na casa. Além de ter 11 vereadores eleitos pelo seu grupo que estão sendo investigados por envolvimento no mesmo esquema do Cheque Cidadão.

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.