Campos participa de treinamento para caso de surgimento de óleo no litoral do Rio

Técnicos da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Ambiental (SMDA) e da Coordenadoria Municipal da Defesa Civil de Campos participaram, nessa segunda-feira (12), no Porto do Açu, em São João da Barra, da capacitação que visa ao acompanhamento e vigilância diante do avanço das manchas de óleo na costa brasileira. O treinamento é ministrado pela Gerência de Operações em Emergências Ambientais do Instituto Estadual do Ambiente (Inea).
As manchas de óleo, que atingem as praias do Nordeste desde o dia 30 de agosto, chegaram ao Espírito Santo, na Região Sudeste. O secretário de Desenvolvimento Ambiental, Leonardo Barreto, participa da capacitação e destaca que é importante organizar as frentes de ação.
— Município, Estado e União, coordenados pela Marinha do Brasil, estão se organizando para o monitoramento e possível identificação de manchas de óleo aqui no litoral fluminense. Com o conhecimento que está sendo passado poderemos ter uma resposta rápida e eficiente — frisou Leonardo Barreto.
O coordenador da Defesa Civil Municipal, major Edison Pessanha, frisa que a capacitação aprimorou o conhecimento técnico dos agentes para um possível cenário de mancha de óleo no Norte Fluminense. “Nos foi informado que as manchas de óleo deverão chegar ao litoral fluminense, com menos intensidade do que no Nordeste, e isso é uma questão de tempo e que depende de uma série de fatores da natureza, como por exemplo, correntes marítimas”, frisou o major.
O treinamento teórico e prático oferecido pelo Inea consta de mapeamento das áreas e o levantamento de dados quanto a recursos humanos e equipamentos disponíveis, para serem utilizados em uma possível intervenção.
Em outubro, através de Decreto publicado no Diário Oficial do Estado, o governador Wilson Witzel criou um grupo de trabalho especial, para acompanhamento e vigilância das manchas de óleo na costa brasileira. O grupo é coordenado pela secretária do Ambiente e Sustentabilidade, Ana Lúcia Santoro, e composto por técnicos da Seas e do Inea. O treinamento tem como base as orientações do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).
Dos treinamentos promovidos em várias regiões do litoral fluminense participam instituições públicas, como: Corpo de Bombeiros, Regionais de Defesa Civil – REDECs, além das coordenadorias de Defesa Civil e meio ambiente.
- Participe -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.