Br

Câmara fechada para o povo e sessão que votaria a “penhora” dos imóveis fica para sexta

A quinta-feira (15), ficou marcada como mais um dia de clima muito tenso na Câmara Municipal de Campos. O movimento no entorno do prédio começou ainda por volta das 7h, quando alguns funcionários da Prefeitura chegaram até o local. O portão da Câmara foi aberto por volta das 8h30, porém, foi fechado pouco antes das 10h, impedindo a entrada das pessoas que ainda estavam do lado de fora, o que gerou muita revolta e tumulto, já que pelo menos 200 pessoas foram barradas.

Enquanto isso, do lado de dentro acontecia mais confusão. No plenário além de muita provocação entre defensores do governo e pessoas ligadas a oposição, também aconteceu um momento de conflito envolvendo os vereadores Albertinho e Magal e o vereador eleito Cláudio Andrade.

O motivo principal da discussão é que o vereador Magal teria mostrado a Cláudio Andrade, uma matéria do Jornal Terceira Via que segundo Magal, era contrária ao governo. Magal quis tirar satisfação com Andrade, e ainda afirmou que o jornal pertencia a Cláudio Andrade. Cláudio Andrade então negou que ele teria qualquer envolvimento com a matéria “Tem minha assinatura? O que eu escrevo você pode ter certeza que eu assumo!”. O vereador Albertinho tentou argumentar e de forma rude, deu dois tapas no ombro de Andrade.

Após os ânimos acalmarem, o presidente Edson Batista abriu a sessão informando que ela seria suspensa sem prazo determinado.

Edson Batista só reapareceu por volta das 13h30, onde informou que a sessão estava adiada para as 10h de sexta (16). Confira abaixo como foi o final da sessão:

Comente com o seu Facebook

To Top
error: Conteúdo protegido.