Briga política faz prefeitura recusar instalação de Hospital de combate à Chikungunya

Parece brincadeira, mas infelizmente não é. A Prefeitura de Campos recusou a ajuda oferecida pelo governo do Estado em montar um Hospital de Campanha em Campos, para auxiliar no tratamento de pacientes com quadro de Chikungunya. O Hospital de Campanha, foi solicitado pelo deputado federal Wladimir Garotinho (PSD) no mês de maio e não traria nenhum custo adicional ao município.

A atitude da prefeitura causou espanto, já que o município atualmente é o segundo município do estado no ranking de infestação do mosquito transmissor da doença. Inclusive, nessa sexta (14), uma idosa de 90 anos morreu em virtude da doença, após ficar internada cinco dias na UTI de um hospital particular da cidade. Na última segunda-feira (10), um bebê também morreu em um hospital particular da cidade com Chikungunya.

Segundo um ofício assinado por Cláudia Maria Braga de Mello, subsecretária de Vigilância em Saúde, o município negou justificando que “não há necessidade, uma vez que o município montou tendas de acolhimento e hidratação, além de promover um dia D de combate ao Aedes Aegypti”.

O “Dia D” foi noticiado aqui no ClickCampos, onde na época publicamos que em ritmo de campanha, Rafael Diniz retornava às ruas de olho na disputa eleitoral do ano que vem. Agora, duas semanas depois, fica claro que a disputa política “obrigou” o prefeito a negar a ajuda do governo do Estado, já que o solicitante foi um dos possíveis candidatos a prefeito em 2020.

No entanto, ao invés de priorizar a disputa política e tentar afastar os adversários das resoluções dos problemas do município, a prefeitura deveria se preocupar com as diversas vidas perdidas e com o sofrimento das milhares de pessoas que são, foram ou vão ser vítimas dessa doença.

- Anúncios -
- Anúncios -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.