fbpx

#SigaOCLICK

‘Assassino silencioso’. Pressão alta duplica risco de sofrer desta doença

MAIS LIDAS

Sofrer de pressão arterial elevada, uma condição que afeta milhares de pessoas no mundo todo, pode duplicar o risco de epilepsia, revela um novo estudo citado pelo jornal The Sun.

A epilepsia provoca convulsões, que podem incluir sintomas como perda de consciência, rigidez ou colapso.

Mais ainda, a condição grave pode, por vezes, ser desencadeada por um acidente vascular cerebral (AVC) ou Alzheimer em idade mais avançada.

Todavia, investigadores da Escola de Medicina da Universidade de Boston, nos Estados Unidos, queriam descobrir se existiam outros fatores que levam possivelmente à epilepsia – que geralmente é diagnosticada na infância ou em pessoas com mais de 60 anos.

Leia Também: Pressão alta? Coma mais potássio e menos sódio

Cerca de três mil adultos foram recrutados para o estudo, com uma idade média de 58 anos.

Durante 19 anos, aproximadamente 55 pessoas (1,84%) desenvolveram epilepsia.

Os investigadores descobriram que a hipertensão arterial duplicava o risco da condição. 

Ao olhar apenas para aqueles com hipertensão não tratada, o risco aumentou 2,44 vezes, de acordo com os dados divulgados.

A Dra. Maria Stefanidou, coautora do estudo, disse que os achados indicam que a hipertensão arterial é um fator independente que pode levar à epilepsia.

“O nosso estudo mostra que a hipertensão, um fator de risco vascular comum, modificável, é um preditor independente de epilepsia em idades mais avançadas”, explicou a pesquisadora.

“Embora os estudos epidemiológicos só possam mostrar associação e não causalidade, essa observação pode ajudar a identificar subgrupos de pacientes que se beneficiarão de um maior controle direcionado no tratamento da hipertensão grave”. 

Stefanidou mencionou ainda que intervenções mais eficazes para pacientes hipertensos poderão reduzir a “carga de epilepsia em idade mais avançada”.

Leia Também: Pressão alta? Evite estes seis alimentos (para além do sal)

ÚLTIMAS NOTÍCIAS

Mais notícias