‘A situação é grave e vai ficar gravíssima; só saiam de casa para fazer o que for extremamente necessário’, apela Witzel

O governador do Rio, Wilson Witzel, fez um apelo para que a população do Estado evite aglomerações para impedir a disseminação do coronavírus. “Eu quero pedir à população pelo amor de Deus e amor que têm aos pais e avós: o momento é de união, de todos estarmos conscientes. Este vírus se propaga rapidamente em aglomerações”, disse o governador em entrevista ao RJ da TV Globo.
Neste fim de semana, mesmo com uma determinação que proíbe a aglomeração de pessoas no Rio foi suficientes para impedir milhares de cariocas de ir à praia. Na sexta-feira, o governador do estado, editou um decreto fechando espaços públicos, como cinemas e teatros, e chegou a dizer que a Polícia Militar poderia evacuar as praias, se fosse necessário.
Na entrevista, o governador explicou que o novo coronavírus vai se propagar de uma forma ou de outra, mas a velocidade vai depender da população deixar de se aglomerar. Os pacientes precisarão usar respiradores. Os novos leitos não estão preparados. Witzel informou que 300 novos leitos vão ficar prontos em 30 dias.
“Não temos praticamente capacidade hoje de acolher pacientes com dificuldades respiratórias. Estamos tomando medidas para abrir 300 leitos em um mês. Se a população for pra praia, mais de 20 mil pessoas vão ficar infectadas: mais de 500 doentes com dificuldades respiratórias”, alertou. O governador Wilson Witzel explicou que o governo prepara dois hospitais para receber pacientes com coronavírus e que a secretaria de infraestrutura prepara um projeto emergencial.
Nesta segunda-feira, o Corpo de Bombeiros do Rio (CBMERJ) e a Defesa Civil Estadual estão orientando banhistas que estão nas praias da capital e Região Metropolitana do Rio a deixarem o local, conforme prevê umas das medidas para conter a disseminação do coronavírus, que é evitar aglomerações. A Polícia Militar também emite o mesmo aviso nas orlas.
Viaturas da corporação estão rondando a orla das praias e as ruas orientando as pessoas que evitem aglomerações. Cerca de 150 viaturas estão mobilizadas na ação e o planejamento prevê extensão dessa cobertura de alerta por outros municípios fluminenses.
Rio pode ter 24 mil casos de coronavírus em 4 de abril se prevenção não for respeitada
O Estado do Rio pode ter até 24 mil casos de coronavírus até o dia 4 de abril se as medidas preventivas para evitar o contágio não sejam adotadas pela população. Os dados são da Secretaria Estadual de Defesa Civil.
A expectativa de casos do Covid-19 foram divulgados no Bom Dia Rio, da TV Globo, durante entrevista do secretário estadual de Saúde, Edmar Santos. Atualmente, o número de casos confirmados são 24, mas é previsto um aumento de 10 vezes a cada sete dias das notificações da doença.
O secretário reforçou a determinação de se ficar em casa para evitar o contágio e adotar as medidas de higiene de lavar as mãos com água e sabão e uso de álcool em gel, além de evitar de levá-las aos rosto, nariz e olhos se estiverem sujas. Se todos adotarem esses cuidados, o número de casos previstos caem para três mil.
“Com exceção dos casos de trabalho, compra de alimentos ou ida a médicos, as pessoas devem ficar em casa. Se essa medida for tomada, a transmissão deixa de ser de um para três e passa a ser de um para um. Com isso, podemos ficar com três mil ou quatro mil casos”, disse o secretário ao Bom Dia Rio.
Do contrário, a quadro na rede de atendimento não suportaria a grande demanda e se tornará caótica, com necessidade de 3,6 mil internações, sendo que 1,2 mil em CTIs. A expectativa é que 85% dos casos sejam leves e 15% precisam de internações.
- Advertisement -
- Participe -

MAIS LIDAS

error: Conteúdo protegido.