BLOG DO MAYCON VIDAL

Opinião, artigos e bastidores da política

A curiosa ‘licitação da passagem’ que irá movimentar cerca de R$ 4 milhões por mês

Empresa criada em fevereiro irá gerenciar alto valor das passagens

Que o andamento da implantação do Novo Transporte Público de Campos vem sendo conturbada, todo mundo sabe. Acontece que existem algumas coincidências, no minimo muito estranhas, que rondam também todo o processo feito até aqui.

Para quem não sabe, o pagamento da passagem não será mais em dinheiro vivo. Cada passageiro terá um cartão, que poderá ser recarregado de diversas formas (aplicativo, guichê,etc), onde irá concentrar o dinheiro que utilizará para o pagamento das passagens. Acontece que, alguns detalhes a partir daí causam muita estranheza e devem ser vistos com muita atenção.

No dia 6 de dezembro de 2018 foi publicada a lei que regulamentava o transporte alimentador. No prazo de 30 dias, o presidente do IMTT, Felipe Quintanilha, deveria publicar o edital de licitação, mas isso não aconteceu. A publicação do edital só aconteceu no dia 11 de março, 2 meses depois do prazo estipulado.

No entanto, no dia 11 de fevereiro, nasce a empresa BILLING PAY, responsável pelo cartão eletrônico que gerenciará as passagens do sistema público de transporte. A empresa tem sede em um importante centro comercial do Rio de Janeiro. A novata no mercado, com capital social de R$ 100mil, irá gerenciar cerca R$ 4 milhões por mês, estimado como valor total das passagens/mês em Campos, que deve ser repassado para as empresas de ônibus e motoristas de vans.

Tentamos contato com a empresa BILLING PAY, no entanto, os dois números cadastrados como da empresa, aparecem também para um escritório de advocacia e uma empresa de móveis, tendo endereços diferentes e sócios também, nada tendo a ver com a empresa do cartão de passagens.

A BILLING PAY ficará com cerca de 4,5% do valor das passagens. O que deve render mensalmente a bagatela de R$ 180 mil. Para uma empresa nova no mercado, com menos de 6 meses de criação, o retorno é bastante considerável.  E tudo isso foi feito baseado em um contrato com uma importante cláusula de confidencialidade, que você pode conferir abaixo o trecho que cita a empresa:

 

Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS

error: Conteúdo protegido.