BLOG DO RHYANN SOUZA

Tudo sobre esporte em Campos e região

A bola deve rolar? Jornalistas de renome falam sobre a possível volta do futebol brasileiro

O “País do futebol”, denominado por muitos, começa a namorar um possível retorno dos jogos.  Vivendo uma polarização política, o Brasil sinaliza com bons olhos a volta do esporte mais prático do mundo. O Campeonato Carioca, por exemplo, ainda não tem data de retorno prevista. No entanto, o decreto do governador Wilson Witzel (PSC) liberou as atividades esportivas no Rio de Janeiro, contanto que não haja público. É o primeiro passo para a volta do estadual.

João Doria (PSDB), governador de São Paulo, disse no dia 5 de junho que não há prazo para o retorno dos esportes. O Paulistão foi suspenso quando ainda restavam duas rodadas para o fim da primeira fase

O Campeonato Brasileiro ainda não tem data para começar. Como os Estaduais não foram encerrados, será preciso preparar um calendário alternativo para abrigar todas as competições nacionais. Não existe uma data definida também para o reinício da Copa do Brasil, o torneio foi paralisado no meio da disputa da terceira fase.

São muitas dúvidas, pouquíssimas respostas! Baseado nisso, eu pude conversar e pedir a opinião sobre a volta do futebol brasileiro. Jornalistas com um enorme gabarito no ramo esportivo falaram com o Blog do Rhyann Souza, no site Clickcampos.com. Nomes como Eraldo Leite (Rádio Globo), Julia Guimarães (Tv Globo / SporTv), Bruno Cantarelli (Band News FM Rio / Band Tv Rio) e Granger Ferreira (Inter Tv – Afiliada Globo), participaram desse bate-papo.

Eraldo Leite (Rádio Globo): “Pelas dimensões continentais do País, é difícil estabelecer uma decisão única para todos os estados brasileiros na questão da volta do futebol. Cada Federação precisa estabelecer com as autoridades de saúde de seu Estado o momento da volta do campeonato. 

É preciso ter garantias de preservação da saúde das pessoas, atletas, técnicos, profissionais de apoio, imprensa. Isso passa por testagem da covid, uso de máscaras faciais, higienização das mãos e dos ambientes para evitar contaminação e contágio. Federações e clubes devem estabelecer protocolos e segui-los à risca. 

Deste modo, é possível pensar na volta do futebol. No Rio os protocolos dos clubes e da imprensa estão prontos e aprovados, mas a volta do campeonato não tem data, porque Fluminense e Botafogo ainda não concordaram com a volta aos treinos. São Paulo está ainda mais atrasado porque sequer conseguiram finalizar o protocolo. Por fim, só mesmo quando houver uma constatação real de que os casos de coronavírus estão diminuindo é que poderemos sonhar com a volta da maior paixão popular, o futebol.”

Julia Guimarães (Tv Globo / SporTv): “Eu não sou a favor da volta agora, porque ainda não chegamos ao pico da doença. Os números estão crescendo a cada dia, batendo recordes, e esse retorno é muito perigoso. No Cruzeiro, por exemplo, três jogadores testaram positivo na semana de treinos. É um risco que não temos nem a dimensão de como vai ser. Mesmo com os protocolos, o contato existe entre os jogadores, funcionários e, depois, entre essas pessoas e seus familiares. O protocolo não é suficiente para voltar em segurança nesse estágio da covid que estamos no país.

Bruno Cantarelli (Band News FM Rio / Band Tv Rio):“Neste momento, não! Acho que seremos o primeiro país no mundo a voltarmos em meio ao aumento do número de casos e mortes. Isso será inédito. Basta observar. Na Europa, alguns campeonatos acabaram. Os que retornaram, retornaram após a curva de contágio já ter ultrapassado o pico e estar diminuindo. Óbvio que respeito demais o profissionalismo e a qualidade dos médicos dos clubes em relação à elaboração do protocolo de segurança, mas a minha opinião como observador é de que este não seria o momento.”

Granger Ferreira (Inter Tv – Afiliada Globo): “A volta do futebol no Rio está liberada. No final da noite desta sexta-feira (05/06), o governador Wilson Witzel assinou um decreto autorizando a prática de esportes de alto rendimento sem público. A volta do futebol no Rio está liberada.  

A alegria de quem gosta do esporte é grande, mas esporte é vida, e se esporte é vida, há um contrassenso de retornar o futebol no auge da pandemia. Vamos trabalhar sim, mas o receio de um crescimento desordenado de casos, preocupa-me muito. 

Parar tudo e recuar em meio ao descontrole, não será algo novo, já que isso ocorreu na Itália e na Suécia. Não teremos a desculpa de dizer que não sabíamos. Torço para que dê tudo certo, mas no Brasil a pandemia irá acabar, quando a doença quiser, e quando o povo acordar.  

De acordo com historiadores, as pandemias normalmente acabam de duas maneiras: o fim médico, que ocorre quando a incidência e taxas de morte disparam, e o social, quando a epidemia do medo da doença desaparece. Enfim, resta-nos aguardar.”

 

 

Fonte: Rhyann Souza / UOL

 




Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS

error: Conteúdo protegido.