fbpx

#SigaOCLICK

POR MARIANNA OLIVEIRA

Informações sobre Campos e região

Manifestações pró-Lula e pró-Bolsonaro acontecem em várias cidades no 1º de maio

Em meio a uma nova crise entre os Poderes, o presidente esteve em manifestação na Esplanada

- Advertisement -  

O 1º de maio deste ano é marcado por manifestações em todas as capitais no Brasil. O presidente Jair Bolsonaro participou neste domingo das manifestações a favor do governo federal na Esplanada dos Ministérios, em Brasília.

Em Brasília, manifestantes ocuparam o gramado de frente ao Congresso Nacional, na Esplanada dos Ministérios, e caminharam junto com o presidente Jair Bolsonaro – que participou do evento durante cerca de 10 minutos. O chefe do executivo cumprimentou o público, mas não discursou.

WhatsApp Image 2022 05 01 at 21.02.44 ClickCampos - Jornal de Campos e do Rio de Janeiro Manifestações pró-Lula e pró-Bolsonaro acontecem em várias cidades no 1º de maio

“Vim cumprimentar o pessoal, que está aqui numa manifestação pacífica em defesa da Constituição, da democracia e da liberdade. Então parabéns a todos em Brasília e em todo o Brasil que hoje estarão nas ruas. Estamos juntos, o Brasil é nosso, Deus, pátria e família”, disse Bolsonaro em uma rede social.

O Dia do Trabalhador costuma contar com expressivos protestos de movimentos da esquerda. Neste ano, porém, lideranças bolsonaristas também convocaram atos para demonstrar apoio ao presidente.

No Aterro do Flamengo, aconteceu um grande ato com reivindicações trabalhistas e de apoio ao ex-presidente e pré-candidato à presidência da República, Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Nos cartazes, muitas mensagens pedem a saída do atual presidente e do ministro da Economia, Paulo Guedes. Em Copacabana, houve manifestação a favor de Bolsonaro (PL).

WhatsApp Image 2022 05 01 at 21.03.22 1 ClickCampos - Jornal de Campos e do Rio de Janeiro Manifestações pró-Lula e pró-Bolsonaro acontecem em várias cidades no 1º de maio

Eleições 2022
Segundo levantamento do instituto Paraná Pesquisas feito entre os dias 24 e 29 de abril e divulgado neste sábado (30), O presidente Jair Bolsonaro (PL) surge numericamente à frente do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), invertendo posição de um mês atrás.

Bolsonaro tem 35,8% das intenções de voto contra 34,9% de Lula. A diferença está dentro da margem de erro de 2,3 pontos percentuais para mais ou para menos. No final de março, no entanto, os dois estavam em posições invertidas: o petista tinha 34,1% contra 31,0% do presidente – ou seja, em um mês, Bolsonaro ganhou quase cinco pontos no estado.

A pesquisa foi feita em 78 municípios de São Paulo, e foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral (TSE), sob o número BR-07854/2022. Ao todo 1.820 eleitores foram ouvidos.

Reação ao indulto concedido a Daniel Silveira
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva havia dito na terça-feira que Bolsonaro tomou uma “decisão estúpida” ao conceder o benefício a Silveira. Ele justificou que vinha mantendo-se em silêncio sobre o assunto antes para não ajudar Bolsonaro a dominar o noticiário. No sábado (30) Lula voltou a criticar os ataques feitos pelo presidente e por seus apoiadores ao Supremo Tribunal Federal (STF).

WhatsApp Image 2022 05 01 at 21.02.12 ClickCampos - Jornal de Campos e do Rio de Janeiro Manifestações pró-Lula e pró-Bolsonaro acontecem em várias cidades no 1º de maio
Foto: GABRIEL BASTOS/FUTURA PRESS/FUTURA PRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

— Ele (Bolsonaro) não gosta de gente. Gosta é de policial. Ele não gosta de livros. Gosta é de armas, de escola de tiro ao alvo, de facilitar o consumo de pistola. Quando na verdade o povo brasileiro está precisando é de paz, de livros, de escolas e de viver em clima de amor, de harmonia e de afeto.

WhatsApp Image 2022 05 01 at 21.02.17 ClickCampos - Jornal de Campos e do Rio de Janeiro Manifestações pró-Lula e pró-Bolsonaro acontecem em várias cidades no 1º de maio
Reprodução/Twitter

O pré-candidato do PT à presidência, pediu neste domingo (1º) desculpa para os policiais por causa de uma fala em um evento de que participou no sábado (30), em São Paulo.

“Quando eu estava fazendo o discurso, eu queria dizer que o Bolsonaro só gosta de milícia, ele não gosta de gente. E eu falei que ele ‘só gosta de polícia, não gosta de gente’. Eu quero aproveitar e pedir desculpas aos policiais desse país, porque muitas vezes cometem erros, mas muitas vezes salvam muita gente do povo trabalhador. Nós temos que tratá-los como trabalhadores”, afirmou.

O evento que Lula participou no 1º de Maio aconteceu na praça Charles Miller, em São Paulo, organizado pelas centrais sindicais, em homenagem ao Dia do Trabalho.

“E eu pedi desculpas junto a vocês porque neste país não é habitual as pessoas pedirem desculpas. Estou há seis anos esperando que as pessoas que me acusaram o tempo inteiro peçam desculpas”, acrescentou Lula.

No decreto, o atual presente justifica que “a prerrogativa presidencial para a concessão de indulto individual é medida fundamental à manutenção do Estado Democrático de Direito, inspirado em valores compartilhados por uma sociedade fraterna, justa e responsável”, alegando ainda que “a liberdade de expressão é pilar essencial da sociedade em todas as suas manifestações”.

O deputado Daniel Silveira participou de ato na praia de Icaraí, em Niterói, na manhã deste domingo (1°), a favor de presidente Jair Bolsonaro, e disse que sua prisão foi “inconstitucional”.

1º de Maio
Em 1886, em Chicago, nos Estados Unidos, trabalhadores americanos fizeram uma paralisação no dia primeiro de maio para reivindicar melhores condições de trabalho. No ano de 1889, operários que estavam reunidos em Paris (França) decidiram que a data se tornaria uma homenagem aos trabalhadores que haviam feito greve três anos antes. A data virou um marco da luta por direitos trabalhistas.

Em 1924, o então presidente Artur Bernardes decretou feriado nesta data por influência dos imigrantes europeus, que, desde 1917, já promoviam paralisações para reivindicar direitos trabalhistas.

No entanto, a Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) só foi sancionada alguns anos depois, pelo Decreto-Lei nº 5.452, de 1º de maio de 1943 na gestão de Getúlio Vargas, durante o período do Estado Novo.

Relacionados

ÚLTIMAS POSTAGENS