O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MPRJ), através da Promotoria de Justiça junto à 100ª Zona Eleitoral de Campos dos Goytacazes, manifestou-se pedindo a permanência das medidas cautelares que impedem o ex-secretário de governo, Anthony Garotinho (PR) de ir a Campos. O MP alegou que existe a necessidade de “salvaguardar a higidez processual e garantir a ordem pública” com a medidas já decretadas.

A defesa de Garotinho, durante uma audiência realizada na última terça (27) em Campos, pediu a suspensão das medidas cautelares. Ao se manifestar pelo indeferimento do pedido, o MP lembrou que a presença do réu na cidade poderá constranger as testemunhas que irão depor nos processos conexos, pois processo ainda está em fase de diligências.

O MPRJ lista uma série de atitudes do réu para “procrastinar o processo e para incitar indevidamente a opinião pública contra as testemunhas e o processo”. Por entender que as medidas cautelares “não estão sendo suficientes para garantir que a instrução processual transcorresse sem incidentes”, o MP já chegou a pedir novamente a decretação da prisão preventiva do político, porém o pedido foi negado pelo juiz Glaucenir de Oliveira.

Comente com o seu Facebook