Como já noticiado por nós AQUI, na última Sessão Ordinária da Câmara de vereadores, foi proposta pelo vereador Álvaro Oliveira (SD) e aprovada com o consenso de todos os vereadores, uma moção de repúdio ao Deputado Federal Jair Messias Bolsonaro (PSC), devido a declarações consideradas ofensivas dadas pelo deputado em um discurso para cerca de 300 pessoas no auditório do clube Hebraica, na zona sul do Rio de Janeiro.

Deputado Jair Bolsonaro no Clube Hebraica, durante o discurso que motivou a moção de repúdio

O Assunto tomou as redes sociais, trazendo intensas discussões com as mais variadas opiniões, tanto de pessoas parabenizando os vereadores pela decisão unânime e recomendando que o mesmo fosse feito em outras Câmaras Municipais, quanto de pessoas revoltadas com a atitude dos vereadores. Imediatamente grupos de apoio ao deputado Jair Bolsonaro em Campos dos Goytacazes começaram a se organizar no sentido de reverter de alguma forma a moção realizada pelos vereadores.

Para saber mais entramos em contato com Carlos Victor de Carvalho, criador da página Bolsonaro Presidente – Campos dos Goytacazes, que emitiu a seguinte declaração:

“Estamos estarrecidos com essa Moção de Repúdio, além de arbitrária, não faz o menor sentido. Bastou um grupo de 30 manifestantes aparecerem na câmara, com cartazes e faixas que, todos os vereadores, aprovam uma moção sem ao menos tomar conhecimento do fato. Ficou claro na fala de Bolsonaro que ele não se referia especificamente a uma raça, cor ou etnia, mas às políticas governamentais para os quilombolas e incluir essa fala como racista é zombar da capacidade de interpretação dos eleitores. Muito desses vereadores não tem moral para repudiar Bolsonaro, pois são alvos de investigação pelo Ministério Público por suspeita de compra de votos através do cheque cidadão.”

Carlos Victor de Carvalho – Criador da página Bolsonaro Presidente – Campos dos Goytacazes

Ainda segundo Carlos Victor, algumas medidas estão sendo tomadas para Anular essa Moção de Repudio, uma delas foi à criação de um abaixo assinado cujo objetivo é atingir 3 mil assinaturas e posteriormente protocolar o documento na câmara.

Também ouvimos Roger Azevedo, Presidente Municipal da Juventude do Partido da Social Democracia Brasileira – JPSDB, que em entrevista fez o seguinte comentário:

Roger Azevedo – Presidente Municipal da Juventude do Partido da Social Democracia Brasileira – JPSDB

“É importante sim que os vereadores se posicionem diante de coisas que julguem importantes, mas não existe sentido em trazer a discussão um assunto do qual eles não tem competência. Se um deputado federal faz algo que pode ser considerado errado, a apuração cabe a câmara dos deputados através da sua comissão de ética, ou dependendo da gravidade até mesmo por uma CPI ou de um julgamento no STF. Eu não vou assinar o abaixo assinado pedindo o cancelamento da moção e discordo em diversos pontos de algumas opiniões do deputado, mas acho que os vereadores tem é que se preocupar em otimizar o tempo cuidando do município, fiscalizando os serviços públicos, propondo ações efetivas que melhorem a realidade municipal e legislando, ou será que tá faltando trabalho?”.

E você, o que acha de toda essa história? Acha que o deputado falou verdades ou grandes besteiras? Não soube se expressar e foi mal interpretado, ou realmente proferiu ofensas contras minorias étnicas? Nessa história ele está certo ou errado? E os vereadores, agiram bem ou não? Deixe sua opinião!

Comente com o seu Facebook