As vans do transporte alternativo em Campos não poderão mais carregar passageiros em pé a partir da vistoria nos veículos, programada para o início do próximo mês. A determinação foi publicada em portaria do Instituto Municipal de Trânsito e Transporte (IMTT) no Diário Oficial de terça-feira (7). A intenção, segundo o órgão, é resguardar a integridade dos passageiros e garantir o cumprimento de lei municipal 8.169 de 2010, que trata do assunto.
 Previamente, o assunto do recadastramento foi debatido em reunião, no IMTT. Os permissionários das vans, têm sete dias corridos a partir da publicação, para apresentar graficamente, em desenho feito em papel formato A 4, as opções de distribuição dos bancos nos veículos que permitam transportar somente passageiros sentados. A maioria das vans comporta 15 bancos de passageiros, sendo dois deles ao lado do motorista.
— A medida é para garantir a integridade física dos passageiros das vans e o respeito à lei, que também prevê aspectos relacionados a lotação. Vamos avaliar as sugestões dos donos de vans sobre a disposição dos bancos nos veículos e orientar as devidas correções, se for o caso, sempre em conformidade com as normatização. E todos já sabem: transportar pessoas em pé e com porta aberta é proibido — afirmou o presidente do IMTT, Renato Siqueira.
Ainda segundo Renato, muitas das vans são alteradas pelos proprietários sem nenhum critério técnico e de formas diferentes, com a retirada de alguns bancos para aumentar o espaço para passageiros em pé. A alteração inclui a colocação de barras e suportes nos tetos, para que as pessoas possam segurar, aumentando os riscos para os passageiros, visto a precariedade das instalações.
Recadastramento das vans – No dia 3 de abril começa o recadastramento das vans. O trabalho vai até o dia 5 de maio, com atendimento de acordo com a inicial do nome do proprietário. Será feito na Rua Barão da Lagoa Dourada, 197, das 8h às 12h e das 14h às 17h. A partir de então, todos os veículos deverão estar dentro dos padrões para transportar apenas passageiros sentados.
O recadastramento vai ainda mostrar as condições gerais do transporte alternativo, incluindo quantidade e estado de conservação (interno e externo) dos veículos, bem como, o itinerário, por linha, que deverá estar representado graficamente em mapa e descrito, conforme modelo publicado e documentação do veículo e habilitação do condutor. “Hoje não há uma informação precisa de quantas vans existem no município, já ouvimos falar que circulam cerca de 300 vans, sem a devida comprovação. Com o recadastramento teremos uma visão melhor do setor para implementarmos as melhorias necessárias”, sobretudo de planejamento para a complementariedade ao serviço de ônibus, com vistas ao melhor atendimento à população.” acrescentou.
Comente com o seu Facebook